Aguirre lamenta trocas inesperadas e joga a toalha na luta pelo título

O São Paulo está fora da briga pelo título brasileiro, na opinião de seu próprio treinador. Na noite deste domingo, ao final do empate por 2 a 2 com o Flamengo, no Morumbi, Diego Aguirre admitiu que o objetivo passa a ser a classificação para a próxima edição da Libertadores.

– Quando começamos aqui, (as expectativas) não eram tão altas, de pensar em ganhar título. O clube vem de anos difíceis, o objetivo era voltar à Libertadores, uma coisa normal para o São Paulo, mas que se valorizava – disse, antes de seguir seu raciocínio.

– O que aconteceu é que o time ficou acima das expectativas, gerou expectativa de todos nós. Por um momento, isso foi muito grande. Depois, sofremos derrotas, ficamos longe, e entrou um clima não de frustração, mas de tristeza, porque ficamos longe de uma coisa que vimos de perto por um momento.

Se o São Paulo chegou a vencer o primeiro turno com três pontos de vantagem sobre o então vice-líder, Internacional, agora se vê nove pontos abaixo do novo primeiro colocado, Palmeiras, e apenas na quarta colocação.

– Obviamente que todos queríamos ser campeões, mas temos que assumir a realidade. E acho que o São Paulo está em um processo de melhora. Ano a ano, vai evoluir. Sinto que ajudamos para que o São Paulo esteja um pouco melhor – comentou o técnico.

Veja abaixo como foi a entrevista coletiva de Diego Aguirre:

Resultado em si
O empate não é bom para nenhum dos dois, mas também acho justo pelo que vi do jogo, momentos de São Paulo, momentos de Flamengo. Tivemos chance de fazer o terceiro gol, depois Flamengo empatou e teve chance clara de fazer mais. Para mim, foi um resultado justo. Não gosto de empatar em casa, porque ficamos longe da primeira posição, mas temos que aceitar.

Atuação do time
Perdemos muitos jogadores importantes por diferentes motivos, da metade do ano até agora. Não são desculpas, mas jogadores que marcavam uma característica importante de velocidade, de contra-ataque. Everton, Militão, Rojas. Este time está sofrendo. Nós estamos tentando aos poucos colocar os meninos que estão bem, que estão respondendo, mas o time mudou a característica, principalmente as características individuais. Carneiro, depois de um ano sem jogar, está mostrando ser uma realidade, mas também acaba sofrendo, pediu para ser substituído. Mesma coisa com Luan. Tivemos que fazer trocas forçadas, que não esperávamos. Os últimos minutos eu não gostei, mas aconteceram coisas que afetaram o real funcionamento.

Sobre Nenê
Não aconteceu nada. Saiu rápido, mas é normal. Todos jogadores querem jogar, são competitivos. Mas nada para falar disso.

Escalação de garotos da base
Tenho liberdade de tomar as decisões. Todos gostamos de ver esses jogadores aparecerem e se tornarem realidade. O Luan é realidade. Tem um crescimento, hoje é um jogador muito importante dentro do time. Tem só 18 ou 19 anos, é uma realidade. Liziero também. Depois, chegou a hora de Helinho, de colocá-lo na equipe. Uma estreia sonhada, com um gol maravilhoso. Mas também vocês viram que ele sofreu, que ele sentiu as exigências de jogar na equipe profissional. Temos que ter calma. O Helinho vai continuar ganhando minutos, mas não podemos de um momento para o outro dar a responsabilidade a esses meninos de coisas tão importantes. Vamos com calma. A mesma ansiedade que tem a torcida, eu também. Gosto de botar os meninos, mas temos que ir com cuidado. A primeira coisa é pensar no melhor para os meninos e para o São Paulo.

Mais sobre a atuação do time
Até surpreendemos no começo, fizemos o gol. Mas uma coisa que falei no vestiário foi que não tivemos… Não sorte. Mas aconteceu que o Flamengo fez logo o gol de empate. Não conseguimos com nossa tática, o Flamengo surpreendeu porque foi imediatamente ao empate. Gostei do time em momentos, mas uma mudança importante pôr contra um adversário muito entrosado pode te fazer sofrer mais. Mas temos que assumir, pelas dificuldades que estamos tendo pela falta de jogadores que não estão.

O São Paulo recuou muito depois do segundo gol, Aguirre?
A sensação pode ser essa. O que eu penso é que num momento bom, depois do gol do Helinho, foi a melhor versão do time no jogo, 10, 15 minutos em que controlamos e tivemos opção de fazer um terceiro gol, que poderia ter sido definitivo. Mas vocês viram: aconteceram mudanças não planejadas. Queria que Carneiro jogasse, estava bem, com muita velocidade. Mas sentiu, não uma lesão, mas a intensidade do jogo. Depois o tornozelo de Luan. Não estava previsto. Fizemos mudanças que tornaram o time um pouco mais sem saída ou sem velocidade na frente. São coisas que acontecem, temos que tentar resolver. Nos últimos minutos, não encontramos uma resposta para contra-atacar ou fazer uma situação de ataque, e a sensação foi ruim.

8 comentários em “Aguirre lamenta trocas inesperadas e joga a toalha na luta pelo título

  1. Quem melhor definiu o São Paulo foi o Murici.Tem um bom time mas não tem elenco e aqui digo eu; tem goleiros chama gol;chutou entra!Jogar tudo na conta do Aguirre é injusto;tirou leite de pedra.Com um goleiro top e 4 contratações pontuais da pra sonhar no ano q vem.

  2. Futebol é uma coisa fantástica, há 2 meses o cara era a última bolacha do pacote, a diretoria louca para ele renovar, puxando o saco pra todo lado, agora o cara é uma porcaria e a probabilidade dele ficar é bem pequena.

    Acho até que fez um bom trabalho, para quem tinha expectativa de brigar para não cair, fez um trabalho ok, quem se lembra de como estávamos com o Dorival? Mas ele não deve mesmo ficar, provavelmente ficará no Brasil em outro time, ganhou o mercado daqui depois desse trabalho. Acho que o problema foi falta de elenco, é nítida a queda com a saída do Everton, agora sem o Rojas, difícil manter o nível, se eu pudesse falar com o Aguirre pessoalmente aconselharia ele a chutar o balde, não vai renovar, o campeonato está perdido, faz o que todo mundo quer, coloca essa meninada para jogar, provavelmente vai ser pior do que está, mas pelo menos ele agrada a massa e fica provado que o problema é falta de peças, nem assim ele vai renovar, mas pelo menos tenta algo novo.

    Na minha opinião, o Aguirre não fica ano que vem, e não nos esqueçamos que o São Paulo não pagou pelo Everton, coisa muito suspeita, à época mta gente falava que o empresário dele estava fazendo uma jogada para levar ele para o exterior e usar o São Paulo como ponte para não ter que pagar a multa rescisória para clubes do exterior, que é bem mais cara. Se o Everton sair mesmo, aí a coisa fica feia de vez para o ano que vem.

    • Carlos, se vc considera que um trabalho nível Celso Roth (retranca pura onde 1 a 0 é o grande objetivo e o empate de bom tamanho) está bem para o S.Paulo, tudo bem: respeito sua opinião. Pra mim o que aconteceu para que o Aguirre fosse muito respeitado por nós pelos resultados do primeiro turno foi pura obra do acaso. Lembre-se que com o Dorival Jr, citado por vc, o S.Paulo fez a melhor campanha do segundo turno (ou uma das) da temporada passada. Mediocridade pra cá; mediocridade pra lá.

  3. Boa parte da perda desse titulo foi sua covardia nesse 2o turno, como amigo abaixo escreveu 1o uruguaio covarde que eu vi, e que abra o olho pq ate a 4a posição pode perder pq teremos pela frente curintias e gaymio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*