A hora do ouro: Douglas confia na conquista ‘adiada’ da Sul-Americana

Chegou a hora de tirar o gosto amargo da boca. Dois anos depois de perder para os argentinos do Independiente a final da Copa Sul-Americana, com o Goiás, nos pênaltis, o lateral-direito Douglas terá a chance de conquistar o título que escapou pelas mãos. O jogador guarda com orgulho a medalha de prata da competição continental, mas espera ansiosamente pela de ouro, que pode ser conquistada pelo São Paulo diante do Tigre, também da Argentina.

– Ficou aquele gostinho amargo. Espero que esse ano seja diferente. Eu tinha 19 anos na época, seria meu primeiro título como profissional, logo no meu primeiro ano como titular do Goiás. Eu desejava muito essa conquista. Por uma fatalidade, nos pênaltis acabamos perdendo. Espero que, com a camisa do Tricolor, possamos ganhar essa taça para completar minha alegria – disse Douglas.

O lateral está confiante para receber a medalha “adiada”. Apesar de ter uma atuação destacada no clássico contra o Corinthians, quando fez o gol que iniciou a virada por 3 a 1, ele agora está na reserva do Tricolor. Mesmo no banco, Douglas terá participação na final. O lateral repassou ao grupo as lições aprendidas na sofrida derrota de 2010.

– Uma lição que tiro é que não tem jogo fácil. Pelo Goiás, contra o Independiente (outra equipe argentina), conseguimos uma vantagem de dois gols em Goiânia, mas tomamos os gols na Argentina, fomos para os pênaltis e perdemos. Por isso, temos de entrar focados nos dois jogos. Não podemos pensar que um resultado bom no primeiro jogo já vai garantir o título. Precisamos entrar concentrados nas duas partidas para não sermos surpreendidos – alertou Douglas.

E foi por muito pouco que o título escapou em 2010. Depois de vencer por 2 a 0 em casa, o Goiás empatava em 1 a 1 em Avellaneda, mas os argentinos fizeram o 3 a 1, que levou a decisão para as penalidades, e foram perfeitos nas cobranças – acertaram os cinco pênaltis enquanto os alviverdes perderam apenas um, com o atacante Felipe. Quem também esteve em campo naquela noite foi o zagueiro Rafael Toloi, um dos atletas do Goiás que acertou sua cobrança e terá mais uma chance de ganhar o título da Sul-Americana, agora pelo São Paulo.

As cenas da lamentação ficaram na memória de Douglas, mas o jogador está confiante de que elas serão apagadas depois das finais dos próximos dias 5 e 12 – o primeiro duelo será na Bombonera, na Argentina, e o segundo terá o Morumbi como palco. O lateral está confiante que as imagens que ficarão serão as das comemorações do título adiado, mas conquistado.

– Tem tudo para dar certo e sermos campeões. Basta fazermos o que já vínhamos fazendo nessa reta final de temporada. Se vencermos, vou colocar a medalha em um quadro, ao lado da de prata. Vai ser guardado com muito carinho na lembrança para sempre.

Missão cumprida em teste para a final

Apesar de ser reserva, Douglas viaja para a Argentina cheio de moral. Ele teve uma atuação destacada no clássico contra o Corinthians, jogo que os suplentes do Tricolor venceram de virada. O jogador, que atua também no meio-campo, bem aberto pela direita, anotou o primeiro dos três gols do triunfo por 3 a 1 no último teste antes das decisões da Sul-Americana.

– Saí com a sensação de missão cumprida. Todo o grupo estava com uma vontade e tanto. Isso é gratificante. Ainda mais quando estamos às vésperas de uma final. Vimos que o elenco está querendo algo maior, que é conquistar um título. Foi uma alegria total no vestiário, e vamos levar isso para a Sul-Americana.

Douglas surpreendeu na nova função. Ele acredita que seu desempenho o fez ganhar pontos com o técnico Ney Franco e quer recuperar o seu espaço entre os titulares.

– Já vinha fazendo um trabalho bom em outros jogos, fazendo o que o Ney Franco pedia. Fiz uma função diferente, parecida com a de um segundo volante, mais aberto, consegui fazer uma boa partida, não só eu como todo o grupo desenvolveu um bom trabalho em campo. Consegui abrir um pouco os olhos do treinador para quando ele precisar eu estar à disposição – disse o jogador.

O lateral foi contratado pelo São Paulo em fevereiro, mas uma pubalgia atrasou sua estreia. Ele diz que teve dificuldades em seus primeiros jogos por conta da lesão, mas rapidamente assumiu o posto de titular, que pertencia ao paraguaio Ivan Piris. Ele perdeu espaço para Paulo Miranda e acabou voltando ao banco de reservas, mas continuou sendo bastante utilizado por Ney Franco. Agora, ele projeta voar baixo em 2013.

– Este foi um ano bom. Tive um pouco de altos e baixos, mas foi gratificante ter jogado essas partidas e ter sido recebido como fui. Pode ter certeza que ano que vem estarei voando, porque estou zerado da pubalgia e terei uma pré-temporada boa, o que não tive no ano passado também. Creio que será um ano produtivo. Quero buscar meu espaço novamente na lateral – declarou Douglas.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*