A 20 dias do próximo jogo, Pato caça competições no dia a dia

O próximo jogo de Alexandre Pato será em 9 de abril, daqui a 20 dias. Até lá, precisa se contentar com treinamentos programados pela comissão técnica de Muricy Ramalho. Mas isso, claramente, é pouco para o novo atacante do São Paulo, que tem buscado outras formas de competir (ou se divertir) em seu dia a dia no CT da Barra Funda.

Na quarta-feira pela manhã, depois de participarde um treino técnico com os atletas que serão poupados do jogo contra o Botafogo, o camisa 11, impossibilitado de atuar no Campeonato Paulista, enfrentou três colegas de elenco em uma disputa de arremates de média distância no travessão.

Fernando Dantas/Gazeta Press

Fominha: atacante tenta se divertir de outras formas enquanto não chega o dia de sua próxima partida

O goleiro Denis, seu parceiro de concentração na estreia pelo São Paulo (na vitória sobre o CSA, na quarta-feira passada, em jogo de ida da primeira fase da Copa do Brasil), foi o principal adversário na brincadeira comum entre os jogadores de futebol, a qual contou ainda com Renan Ribeiro e o atacante Osvaldo, seu vizinho de condomínio e conhecido das divisões de base do Internacional. 

Na última rodada de chances, após uma série de tentativas, Denis foi o primeiro a arriscar e igualou os sete acertos de Pato. Mesmo com a vitória ameaçada, o atacante não sentiu a pressão: mandou a bola novamente no travessão, cerrou o punho direito e vibrou como se tivesse anotado gol em uma partida oficial. “Valeu”, disse, sorrindo, ao tocar a luva do goleiro.

Muricy não chegou a presenciar esse momento, pois já tinha deixado o campo minutos antes, na companhia do coordenador técnico Milton Cruz. O treinador, porém, viu que o atacante – e os outros três companheiros – seriam os últimos jogadores a voltar para o vestiário, algo que ele costuma valorizar bastante. “Ele chega cedo, treina muito”, elogiou, há pouco mais de uma semana, antes da estreia de Pato, em Maceió.

A brincadeira com o travessão não é a única solução encontrada pelo ex-corintiano para matar a vontade de competir. Ele tem por hábito fazer duelos de embaixadinhas com seus novos companheiros – o argentino Cañete é um dos que buscam, geralmente em vão, superá-lo na habilidade – ou tentar, com os pés, encestar bolas nas caixas de materiais à beira do gramado.

 

 Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*