Ceni e Fabuloso disputam artilharia do SP na história da Libertadores

A goleada do São Paulo por 5 a 0 sobre o Bolívar, na última quarta-feira, deixou o Tricolor muito perto da fase de grupos da Taça Libertadores e também acirrou uma disputa interna no time. Com dois gols no jogo, Luis Fabiano chegou a dez na competição continental. Ele agora está atrás apenas de um jogador na artilharia são-paulina da história do torneio: Rogério Ceni. A dupla agora duela pelo posto de maior goleador da equipe do Morumbi na Libertadores.

Em sua nona participação no principal torneio do continente, o goleiro e capitão do São Paulo  fechou a goleada tricolor com um gol de pênalti, que foi o seu 12º na Libertadores.

O goleiro, que já tem 108 gols na carreira, estava há quase três anos sem deixar sua marca na competição continental. A última vez em que havia balançado a rede adversária na “Liberta” foi no dia 25 de fevereiro de 2010, quando acertou uma cobrança de falta, mas não evitou a derrota por 2 a 1 diante do Once Caldas, da Colômbia.

Depois de dar fim ao jejum, o agora quarentão Rogério Ceni quer continuar fazendo gols, mas descarta o “fogo amigo” no páreo dos artilheiros. Ele declara sua torcida pelo amigo Luis Fabiano.

Luis Fabiano comemora gol na  partida do São Paulo contra o Bolívar (Foto: EFE)Luis Fabiano comemora gol na partida do São Paulo contra o Bolívar (Foto: EFE)

– A única coisa que torço é para que ele me passe o mais rápido possível. Se ele não passar é porque alguma coisa deu errado. O correto é que ele chegue a 15, 16, 18, 20 gols. Tomara. Aí vou ficar tranquilo porque meu time estará fazendo gols – disse Ceni.

Luis Fabiano, por sua vez, está apenas em sua segunda Libertadores. No entanto, tem ótimo histórico na competição. Ele disputou a edição de 2004 e, com seus oito gols, ajudou o Tricolor a chegar à semifinal da competição – o time acabou parando no Once Caldas, que levou a taça daquele ano. O atacante tricolor não saiu com o título, mas foi o artilheiro do torneio. Ele tenta repetir a dose em 2013.

Rogério Ceni comemora gol do São Paulo contra o Bolívar (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Rogério Ceni comemora gol do São Paulo contra
o Bolívar (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

– Se ele não virar artilheiro vou ficar triste porque não estaremos bem na competição. O camisa 9 tem sempre de estar com mais gols do que o camisa 1 – disse Rogério Ceni.

Com apenas dois jogos no ano, o Fabuloso já bateu sua primeira meta de gols na temporada. Ele ultrapassou Müller e França na lista de maiores artilheiros são-paulinos no Morumbi. Agora com 92 gols no estádio, ele fica atrás apenas de Serginho Chulapa, que tem 135.

O maior objetivo do atacante, porém, é avançar no ranking dos goleadores da história do São Paulo. Atualmente no sétimo posto com 159, ele pode chegar à quarta posição se repetir no ano a marca de 31 gols de 2012. Assim, ele ficará com 187 (já anotou três nesta temporada) e deixará para trás Müller (160), Luizinho (173) e França (182). Serginho Chulapa lidera esse ranking com 242 gols, seguido de Gino Orlando (233) e Teixeirinha (189).

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*