Vitória com “V” maiúsculo no Rio

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, o São Paulo ganhou do Vasco nesta quarta-feira, jogando como time grande, como tem que jogar uma equipe do tamanho da tradição do Tricolor mais querido do mundo. Foi um massacre no primeiro tempo, e pura administração no segundo, com direito a “algumas emoções”, mas que serviram para testar a forma do M1TO.

O São Paulo começou jogando da mesma forma como fizeram sábado, no Morumbi, contra o Palmeiras. Mais do que isso: parecia que estávamos jogando em casa. Com Douglas, Luis Fabiano e Osvaldo pressionando a saída de bola, Jadson e Denilson também adiantados, o Vaso foi sufocado em seu campo e não conseguia ter a bola. E teve uma única chance no primeiro tempo, numa falha de Rhodolfo, com Rogério Ceni já aparecendo com grande defesa. De resto, só deu São Paulo.

O domínio era tão flagrante, tão absoluto, que mesmo com 0 a 0 dava para perceber que a vitória viria, pois o gol sairia a qualquer momento. Depois de perdermos alguns gols, veio o chute de Luis Fabiano de fora da ára, indefensável para o goleiro vascaíno. E com 1 a 0 no placar ficava ainda mais claro que a vitória estava conquistada, mesmo estando ainda no primeiro tempo.

Paulo Miranda e Cortez faziam duas paredes nas laterais, e ainda desciam com qualidade. Rafael Toloi era segurança total na defesa. Wellington, efetivamente, deu muito mais equilíbrio ao meio de campo e é o responsável direto por essa subida de produçãoi da equipe. Ele marca muito e permite a Denilson, que também marca muito, sair jogando na condição de segundo volante, sua real posição. Com isso a defesa fica segura e o ataque é mais abastecido.

É impressionante como Denilson não erra um único passe e está presente em todas as partes do campo. É impressionante a qualidade de Wellington na marcação. É impressionante o faro de gol de Luis Fabiano. É impressionante o que Paulo Miranda está jogando. É impressionante o quanto cresceu o futebol de Ovaldo. É impressionante o que o São Paulo jogou nas cinco últimas partidas.

Pela minha simulação, empatando ontem entraríamos no G4 em quatro rodadas. Com a vitória, tenho certeza que domingo já estaremos no G4. E, dependendo do que acontecer hoje com o Grêmio em Recife, contra o Sport, estaremos muito próximos do G3.

Antes de encerrar, um alerta à diretoria: não vamos deixar escapar por entre os dedos de nossas mãos o zagueiro Lugano. Um dos maiores ídolos conteporâneos da torcida, precisa voltar para o Tricolor. Ele quer vir embora, já recebeu proposta do Grêmio, mas dá prioridade ao São Paulo. Não vamos perdê-lo, não é?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*