Um turno depois, São Paulo pega a Portuguesa e ainda tem problemas

O Brasileirão se encaminha para o fim e o São Paulo está longe de conseguir uma vaga para a Libertadores do ano que vem. O título, com 17 pontos a menos do que o líder Fluminense, só não é impossível matematicamente. Na prática, está cada vez mais distante. Mesmo assim, após derrota ou empate, como no 1 a 0 para o Atlético-MG, o discurso de que “ainda dá” se repete. A dificuldade cresce, mas as declarações continuam iguais.

Um turno depois da demissão de Emerson Leão, muita coisa mudou. O time evoluiu, jogadores importantes voltaram, a diretoria dá respaldo ao novo treinador, mas os resultados seguem abaixo do esperado. Novamente diante da Portuguesa, contra quem viu a crise no Morumbi ficar insustentável, o Tricolor tenta colocar panos quentes no momento conturbado. Foi diante da Lusa, no Canindé, que a torcida perdeu a paciência, fez protestos e dias depois Leão foi demitido.

O Tricolor não consegue embalar. Até chegou a obter três vitórias seguidas, com goleadas sobre Ponte Preta (3 a 0) e Botafogo (4 a 0), além do clássico frente ao Corinthians, mas voltou a tropeçar no Bahia e acumula quatro jogos sem vencer. Já esteve a um ponto do G4, posição que Ney Franco ainda não conseguiu chegar, mas hoje está a seis. Diante de Lusa e Cruzeiro, no Morumbi, a expectativa é de mais uma vez tentar mudar o rumo.

– Esses dois próximos jogos são importantíssimos para uma definição e para pensarmos em vaga no G4. Se não conseguirmos algo, daí começa a ficar complicado – analisou Ney Franco, após a derrota.

– Em termos de G4, temos de ser coerentes e atentos ao que acontece. São dois jogos empatando e esses dois jogos em casa são determinantes para definir se poderemos trabalhar em termos de G4 ou não. Temos de somar seis pontos e ver como vai ser a rodada do Vasco (enfrenta o Cruzeiro). Depois, temos um jogo da Sul-Americana, que é outro caminho para a Libertadores, mas só se chegarmos com o título – finalizou o treinador.

Neste sábado, diferentemente do 1 a 0 do primeiro turno, a expectativa é de vencer. Com o triunfo, o discurso de que “ainda dá”, vai continuar. Mas este pode ser real. Em caso de tropeço, será hora de rever o objetivo e mudar as palavras na análise.
Antes…

Relacionamento
Em conflito com a diretoria, Emerson Leão também tinha problemas com os jogadores. Trabalho do técnico era questionado internamente e a falta de resultados incomodava.

Morumbi
Em casa, bom desempenho com o antigo treinador. Na temporada, com ele no comando, apenas uma derrota. Para o Santos, no Paulistão.

Eliminação
Após derrota por 2 a 0 para o Coritiba, o São Paulo foi eliminado na semifinal da Copa do Brasil, o que aumentou a crise no clube e os pedidos para demissão de Leão. O técnico seguiu no cargo e dirigiu a equipe diante da Portuguesa.

Torcida
No Canindé, pelo primeiro turno, protestos contra diretoria, comissão técnica e jogadores. Apesar da derrota por 1 a 0 para a Portuguesa, Leão seguiu e foi demitido pela cúpula durante a semana. Com nove pontos em seis jogos, estava em oitavo.

Rogério Ceni
Ainda em recuperação de lesão no ombro direito, não estava à disposição. Seu retorno só aconteceu com Ney Franco.

Luis Fabiano
Assim como hoje, alternava entre campo, suspensão e lesão. Estava suspenso diante da Lusa.

Lucas
No início do ano jogou todas. Até a Copa do Brasil, foi o atleta de linha que mais vezes esteve em campo. Foi fundamental em certas partidas, mas teve problemas com o antigo técnico.


Depois…

Relacionamento
Ney Franco conta com total respaldo da diretoria. Com 18 partidas no comando, tem 50% de aproveitamento. Convive com altos e baixos e não consegue ter uma sequência. O melhor momento foram três vitórias seguidas. Atualmente, vem de quatro tropeços no Nacional.

Morumbi
O desempenho do técnico em casa é razoável. Com ele, as únicas duas derrotas no Brasileirão, além de um empate. Venceu cinco, sendo uma pela Copa Sul-Americana.

Libertadores
O objetivo é classificar para a competição sul-americana do ano que vem, mas está difícil. O Tricolor já esteve perto de entrar no G4, mas só conseguiu com Milton Cruz, que deixou o time entre os primeiros, mas Ney Franco não manteve. Atualmente, tem seis pontos a menos do que o Vasco.

Craques
Apenas em duas oportunidades, Ney Franco conseguiu escalar Rogério Ceni, Lucas e Luis Fabiano juntos. Nas outras ocasiões, algum deles estava suspenso, lesionado ou servindo a Seleção Brasileira de Mano.

Torcida
Apesar de ainda apoiar, a desconfiança já existe. Alguns jogadores são cobrados e a exigência é de que o time retorne para a Libertadores, competição que não disputou nos últimos dois anos. Vencer a Copa Sul-Americana é outro caminho. Além da vaga, também conquistaria um título, o que não ocorre desde o BR de 2008.
Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*