Sul-Americana começa como atalho para Libertadores e risco de atrapalhar Brasileiro

Sete dos oito clubes brasileiros que começam a disputar nesta semana a Copa Sul-Americana têm como grande objetivo na competição, além de um título internacional, a possibilidade de conquistar uma vaga para a Libertadores do próximo ano. Apesar de o Palmeiras (o oitavo clube da lista) já estar garantido na principal competição do continente por ter vencido a Copa do Brasil, a equipe alviverde corre os mesmos riscos de São Paulo, Bahia, Atlético-GO, Figueirense, Botafogo, Grêmio e Coritiba: ver a disputa deste campeonato prejudicar o desempenho no Campeonato Brasileiro.

O desafio de conciliar as duas competições começa nesta terça-feira para Grêmio e Coritiba, que se enfrentam a partir das 21h15, no Olímpico (ver os demais jogos abaixo). E, mesmo com um bom “prêmio”, as exigências para a disputa geram críticas dos participantes.

“A importância da Sul-Americana se dá pela vaga na Libertadores. A competição ganhou uma importância muito grande. Ela só é colocada em um momento complicado no calendário. É quando começam a se encaminhar as coisas no Brasileiro. Está decidindo vagas e com jogos decisivos também no Brasileiro. Aí temos um problema”, alerta o técnico do Grêmio, Vanderlei Luxemburgo.

O sonho de um título internacional e uma vaga na Libertadores corre o risco de virar pesadelo, como alerta o gremista. A situação pode ser mais grave para quem estiver lutando para não cair para a segunda divisão.

Dos oito clubes brasileiros que disputam a Sul-Americana, quatro (Bahia, Palmeiras, Atlético-GO e Figueirense) estão na zona de rebaixamento do Brasileiro. O exemplo do Goiás de 2010 mostra o risco que alguns clubes correm. Naquela temporada, o clube priorizou o torneio continental, poupando jogadores no Brasileiro. No final do ano, acabou rebaixado na competição nacional e perdeu a decisão da Sul-Americana para o Independiente, da Argentina.

Por enquanto, os brasileiros que disputam a Sul-Americana evitam adotar a estratégia de priorizar uma das competições. No Grêmio, apenas Zé Roberto será poupado no jogo desta terça. Já o Coritiba faz mistério.

“Temos um grupo forte, qualificado, não tinha como priorizar uma competição ou outra. E agora queremos começar bem na Sul-Americana, que é uma competição muito interessante”, comentou o zagueiro Pereira, do Coritiba.

Depois dessa fase “nacional”, a Sul-Americana terá confrontos entre equipes de países diferentes, nas oitavas de final.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*