Sofrimento! Pela 3ª vez seguida, São Paulo e Bauza tentam vaga no sufoco

A apreensão é evidente, mas o torcedor do São Paulo pode se apegar ao próprio histórico recente na Libertadores para confiar na classificação. Em 2015 e 2013, a equipe chegou pressionada à rodada derradeira e não decepcionou. Assim como Edgardo Bauza, em 2014, no início da campanha que levou o San Lorenzo ao inédito título continental.

A desconfiança em relação ao desempenho no ano passado era semelhante. O Tricolor estreou na Libertadores com uma derrota por 2 a 0 para o Corinthians, em Itaquera. A forma como o resultado foi construído assombrou o elenco ao longo de toda fase de grupos, já que o time pareceu presa fácil para o rival.

O último compromisso foi o jogo de volta contra o rival, aumentando os contornos de drama. Mas a história foi diferente. No Morumbi, o São Paulo recuperou a confiança, venceu com autoridade por 2 a 0 e garantiu sua vaga nas oitavas de final.

Na ocasião, quis o destino que a disputa do Tricolor fosse contra o San Lorenzo, na época dirigido por Edgardo Bauza. A missão do Patón era difícil: precisava vencer e ainda torcer contra o São Paulo. Nada disso aconteceu. Além da vitória tricolor, seu time foi derrotado pelo Danubio, do Uruguai.

Quando o comandante argentino dependeu apenas do resultado de seu time, no entanto, foi diferente. O título inédito do San Lorenzo, em 2014, foi conquistado com boa dose de sofrimento. Com desempenho irregular na fase de grupos, os argentinos chegaram à última rodada precisando vencer de qualquer forma. O que não foi difícil: vitória por 3 a 0 sobre o Botafogo e arrancada para a taça.

Expectativa parecida à dessa semana viveu o são-paulino na temporada anterior ao título do San Lorenzo, na Libertadores de 2013. O rendimento do Tricolor na fase de grupos, que coincidentemente tinha o boliviano The Strongest, também foi decepcionante.

Em cinco partidas, o São Paulo tinha apenas quatro pontos somados. A tabela, porém, ajudou. A chave “embolada” permitiu que o time do Morumbi dependesse apenas de si para se classificar. Mais uma vez ao lado de seu torcedor, a missão era derrotar o invicto Atlético-MG, e foi cumprida: triunfo por 2 a 0.

Nesta quinta-feira, Edgardo Bauza e São Paulo não dependem de outros resultados. Com oito pontos, na segunda colocação, a tarefa é ao menos empatar com os bolivianos, que têm sete, e aparecem no terceiro lugar da chave.

Embora o histórico seja positivo, o cenário em La Paz é diferente. Na capital boliviana, o clima será hostil, diante de um adversário que sabe aproveitar ao máximo a altitude de 3.600m acima do nível do mar. O torcedor tricolor, porém, espera que o final também seja feliz.

 

Fonte: Globo esporte

Um comentário em “Sofrimento! Pela 3ª vez seguida, São Paulo e Bauza tentam vaga no sufoco

  1. Só pra lembrar: o River, a quem batemos em casa e empatamos na Argentina, empatou com o The Strongest, na altitude de La Paz, pela segunda rodada do grupo. Então, voltarmos classificados amanhã não deverá ser tão difícil como querem fazer parecer. É só jogar com inteligência, com o regulamento debaixo do braço e não amarelar com a pressão que os bolivianos deverão fazer.
    Acho que vai dar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*