Sem meias renomados, Michel Bastos ganha valorização e espaço

Depois de sondar o mercado na tentativa de encontrar um grande meia, capaz de substituir Kaká à altura, o São Paulo deve apostar em uma solução mais prática para 2015: Michel Bastos.

As investidas frustradas, brecadas já no início sempre por conta de valores considerados fora da realidade, mais a contratação do lateral-esquerdo Carlinhos abriram caminho para Michel ser o dono da posição em que prefere atuar: a meia.

O camisa 7 chegou ao clube em agosto e terminou o ano com status de melhor contratação de 2014, na análise do presidente Carlos Miguel Aidar. A moral se estende à comissão técnica e renderá um aumento de salário no início do próximo ano.

Michel, portanto, ganhou duas motivações extras e ficará tranquilo para auxiliar Paulo Henrique Ganso, titular absoluto, na armação das jogadas. Isso porque este ano, ele teve de superar alguns obstáculos.

Além da concorrência com Kaká e Ganso, foi escalado em alguns jogos como lateral-esquerdo, posição em que também atua bem e o levou a disputar a Copa do Mundo de 2010 como titular. Mas ele sempre deixou claro que preferia a meia.

O São Paulo foi ao mercado não porque desconfia do potencial de Michel, mas porque tem apenas o garoto Boschilia, de 18 anos, como reserva para a posição atualmente. As chegadas de Wesley e Thiago Mendes, que eventualmente por exercer a função, aliviam a deficiência.

Durante a janela de transferências, vários meias foram cogitados no São Paulo, mas nenhum entrou em estágio avançado de negociações. Conca, do Fluminense, Cleiton Xavier, do Metalist (UCR), e Diego, do Fenerbahce (TUR) eram os preferidos, mas há o entrave: grana.

– Diego também foi falado, mas todos que tentam batem no lado econômico. Hoje em dia os clubes não fazem loucura e não dá para comparar o salário. Mas futebol é dinâmico, pode ser que mude. Não chegamos a conversar porque só de saber quanto ganha a gente sabe que nem tem chance – afirmou Muricy, à Rádio Bandeirantes.

Sendo assim, vale o ditado: quem não tem cão, caça com gato. Ou com Michel Bastos.
Fonte: Lance

Um comentário em “Sem meias renomados, Michel Bastos ganha valorização e espaço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.