São Paulo retoma obsessão por Montillo e vê espaço para o meia mesmo com Jadson e Ganso

Na última janela de transferências, o São Paulo fez de tudo para contar com o meia Montillo, mas esbarrou na concorrência do Corinthians e na resistência do Cruzeiro em vendê-lo e preferiu comprar Jadson no Shakhtar Donetsk. A obsessão pelo meia argentino foi retomada no fim deste ano, mesmo o Tricolor tendo no elenco três jogadores que atuam na mesma função: os medalhões Jadson e Ganso e a promessa Cañete.

O São Paulo desembolsou uma boa quantia para trazê os três jogadores citados (cerca de R$ 30 milhões). Mas o Tricolor não se incomoda em abrir os cofres para comprar Montillo, pois está com as contas turbinadas pela expressiva venda do meia-atacante Lucas para o Paris Saint-Germain por R$ 108 milhões.

Com três meias de expressão no elenco, a explicação dada no São Paulo para o interesse em Montillo está na posição que ele atuaria no Tricolor. “Claro que tem espaço para ele, é um jogador que todo mundo quer. Podemos jogar com dois meias. Ele pode jogar mais avançado também”, explicou um integrante da comissão técnica ao UOL.

Questionado sobre o interesse em Montillo, o técnico Ney Franco repetiu a tática de centralizar os assuntos de transferências no diretor de futebol do São Paulo, Adalberto Baptista. Mas na avaliação do treinador, o meia pode jogar na mesma posição que hoje atua Lucas: a ponta direita. “Ele jogou assim no Cruzeiro e no Chile”, justificou.

Mas Adalberto Baptista tem tratado a negociação com extremo sigilo. Questionado recentemente sobre o assunto, o diretor do São Paulo tentou despistar. “É tudo mentira”, disse para a TV Bandeirantes.

A estratégia de Adalberto, porém, foi furada pelo diretor-executivo de futebol do Grêmio, Rui Costa. “Conversamos, fizemos uma sondagem, estivemos reunidos, mas posso dizer, sendo bem realista, que é uma negociação muito difícil. O Montillo é um jogador valorizado, o São Paulo está no negócio, além do Santos. São grandes clubes, e todos interessados. É realmente muito complicado”, admitiu.

Antes inflexível a negociar Montillo, o Cruzeiro mudou de postura e já admite ouvir propostas. Mas o time celeste não libera o jogador por menos de R$ 10 milhões. Apesar de ter a quantia, o São Paulo estuda utilizar jogadores descontentes por serem pouco utilizados no clube, como Cícero e Casemiro, como moeda de troca.

Montillo tem os direitos econômicos divididos da seguinte forma: 60% do Cruzeiro, 20% do BMG e 20% de empresários mineiros. O meia ganha R$ 300 mil no time celeste, mas terá seu salário reajustado para R$ 400 mil, um pouco acima do teto do São Paulo. Mas isso, a princípio, não deve ser um problema.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*