São Paulo muda planos e estuda show para lançar hino em rock

Para lançar a nova versão em rock do hino do clube, o São Paulo agora estuda reunir os músicos torcedores que participaram da gravação e organizar um show antes de alguma partida da equipe. Inicialmente, a ideia era apresentá-lo ainda neste mês, no terceiro jogo da Copa Libertadores, mas os planos mudaram.

O primeiro objetivo, ainda que os dirigentes não o confirmassem antes da aprovação de Rogério Ceni, era colocar a música no lugar de Hells Bells (canção do AC/DC que é trilha da subida do time ao gramado do Morumbi) já no duelo contra o San Lorenzo, em 18 de março. Por se tratar de um ritual introduzido pelo goleiro em 2010, porém, a rejeição de parte da torcida pode fazer com que o hino seja tocado apenas no intervalo dos jogos.

Independentemente disso, será realizado um evento no Morumbi para marcar o lançamento do som, mas não mais em março, e sim em abril. Nos últimos dias, foi feito estudo sobre como melhorar os pontos de áudio do estádio – no clássico de domingo, contra o Corinthians, nem Hells Bells nem o Hino Nacional Brasileiro ficaram perfeitamente audíveis em alguns alto-falantes.

Deverão marcar presença não apenas Andreas Kisser (guitarrista do Sepultura e que comandou a produção em parceria com o clube), mas também os demais músicos são-paulinos que participaram do projeto realizado entre dezembro e fevereiro no AudioArena, camarote do Morumbi que também é um estúdio de gravação profissional. Jairzinho, Edgard Scandurra (do Ira) e membros da banda República foram alguns deles.

A primeira nova data pensada para a apresentação foi 22 de abril, quando o São Paulo receberá o Corinthians na última rodada da fase de grupos da Libertadores. O departamento de marketing está praticamente convencido, no entanto, de que o dia não é dos melhores. Primeiramente, porque pode se tratar de um jogo decisivo, com a equipe precisando de uma vitória sobre o rival para avançar de fase no torneio. Depois, porque as restrições da Conmebol para ações em campo impediriam a montagem de um palco atrás do gol.

Por enquanto, fica a expectativa dos torcedores. Quem já teve acesso à nova versão do hino garante que o badalo dos sinos da banda australiana não deixaria saudade se fosse substituído. O som produzido sob comando de Andreas Kisser começa com um solo de guitarra que promete arrepiar por alguns segundos antes de levar a torcida à loucura com os primeiros versos: “Salve o Tricolor Paulista, amado clube brasileiro…”.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*