São Paulo e Atlético-PR voltam a jogar após gol de braço e provocação

O último encontro entre São Paulo e Atlético-PR no Brasileirão foi marcado por polêmicas dentro e fora de campo. No primeiro turno, o atacante Luis Fabiano marcou um gol em um lance que gerou muita discussão e reclamação por parte dos rubro-negros. No dia seguinte ao empate em 2 a 2, o clube divulgou em seu site oficial um texto falando em “sacanagem” e se referindo aos são-paulinos como “bambis”.

A atitude gerou polêmica e, horas após publicar a nota, o clube retirou o termo da nota. No dia seguinte, o Atlético-PR acabou pedindo “sinceras desculpas” ao São Paulo, lamentando a “infelicidade e a expressão mal colocada”. Porém, o clube manteve os protestos contra a arbitragem do gaúcho Anderson Daronco. A nota irritou a diretoria do Tricolor, mas nenhuma resposta oficial foi dada, servindo apenas para aumentar a rivalidade entre os clubes.

Luis Fabiano toca a bola com a mão e a desvia para a rede (Foto: Reprodução SporTV)Gol polêmico de Luis Fabiano gerou revolta do Atlético-PR (Foto: Reprodução SporTV)

Válido pela 8ª rodada, no Parque do Sabiá, em Uberlândia, o Furacão vencia o Tricolor por 2 a 1 até os 46 minutos do segundo tempo, quando Luis Fabiano igualou o placar. O atacante recebeu cruzamento de Osvaldo da esquerda, Natanael tentou o corte e a bola bateu no braço esquerdo do jogador antes do arremate ao gol de Weverton. O lance foi validado pelo árbitro gaúcho Anderson Daronco, responsável pela partida, que terminou em 2 a 2, em jogo válido pela 8ª rodada. Após a partida, os atleticanos se mostraram frustrados com a arbitragem com o polêmico gol marcado pelos paulistas nos acréscimos.

A rivalidade entre Atlético-PR e São Paulo começou em 2005, quando os paulistas conseguiram tirar da Arena da Baixada a primeira partida da decisão da Taça Libertadores. Sem ter os 40 mil lugares previstos no regulamento da Conmebol para abrigar o duelo, o clube acabou levando o jogo para o Beira-Rio. Após empatarem em 1 a 1, no Rio Grande do Sul, e uma goleada por 4 a 0, no Morumbi, deram o título ao São Paulo.

Ainda em 2005, Petraglia chamou o ex-zagueiro são-paulino Alex de “bambi assassino” e desencadeou uma guerra entre as partes. Os clubes também trocaram farpas nas negociações que levaram os atacantes Dagoberto e Aloísio do Furacão para o Tricolor.

Recentemente, a comissão de arbitragem da CBF convocou uma reunião com árbitros, instrutores e capitães das 20 equipes da Série A do Campeonato Brasileiro, com o objetivo de debater e esclarecer as recomendações da Fifa para interpretação de lance de mão na bola ou bola na mão, entre outros assuntos. Depois da Copa do Mundo, a Fifa transmitiu a recomendação para suas filiadas de maior rigor na avaliação deste tipo de lance e, desde então, houve um aumento de pênaltis marcados em decorrência de toques na mão dentro da área. A regra considera infração quando o atleta “tocar na bola com as mãos intencionalmente (exceto goleiro dentro da sua própria área penal)”. Mas há algumas diretrizes. E nelas o árbitro precisa considerar o movimento da mão em direção à bola; a distância entre o adversário e a bola; se a posição da mão pressupõe necessariamente uma infração.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*