São Paulo do futuro fecha 1ª fase do Paulista. Para alguns vale muito

Lucas Silva, João Schmidt, Lucas Evangelista, Ademilson e Ewandro. Cinco jogadores com 20 anos ou menos, que não são titulares, estarão entre os 11 do São Paulo que começarão o jogo deste domingo em campo contra o Botafogo, em Ribeirão Preto, pela última rodada da primeira fase do Paulistão. O São Paulo já está classificado em primeiro lugar para as quartas de final, enfrentará o Penapolense na próxima quarta-feira. O jogo deste domingo não vale nada para o clube, mas muito para os jovens que saíram das categorias de base.

O zagueiro Lucas Silva, que completa 18 anos neste domingo, e o volante João Schmidt ainda não entraram em campo em 2014. Para eles, um jogo como esse representa chance única para mostrar serviço ao técnico Muricy Ramalho. Lucas Silva é a 5ª ou 6ª opção para uma zaga que utiliza dois atletas – neste domingo, excepcionalmente, o time joga no 3-5-2. Disputa vaga com Rodrigo Caio, Antonio Carlos, Paulo Miranda, Edson Silva e Roger Carvalho. Rafael Toloi volta no meio do ano, quando Breno também já poderá estar no clube. Da mesma forma, João Schmidt tenta encontrar um raro espaço entre Wellington, Maicon, Souza, Denilson e Fabrício. Até Rodrigo Caio compete no setor.

João Schmidt está entre os profissionais do São Paulo desde 2011. Nunca, porém, conseguiu sequência de jogos. Teve raras oportunidades como titular mesmo apontado como um dos grandes jogadores que saíram de Cotia nos últimos anos. Foi capitão da seleção brasileira sub-20, mas nunca conseguiu desempenhar o mesmo entre os profissionais do clube. Em Ribeirão Preto, pode fazer valer a chance.

Para Lucas Evangelista, a chance é de achar uma posição. O jovem de 19 anos, disputado entre São Paulo e Desporivo Brasil, já atuou nas mais diversas posições desde a promoção para a categoria profissional, no ano passado. Foi lateral esquerdo, ala, segundo volante, ponta esquerda e até atacante. Neste domingo ele jogará como meia, na posição de origem, e terá como missão exercer papel semelhante ao de Paulo Henrique Ganso.

Ademilson e Ewandro, que formarão o ataque do São Paulo, jogam por metas distintas. A impressão da diretoria sobre o primeiro, de 20 anos, é que ele poderá vir a ser um bom jogador para compor elenco e ser titular em determinados momentos. Ewandro, que acabou de fazer 18 anos, encanta os dirigentes. Este é visto como jogador de maior potencial, mas muito menos preparado neste momento.

Além dos cinco, as observações para o futuro valem também para jogadores como o goleiro Denis. O candidato favorito para suceder Rogério Ceni após a aposentadoria, no fim desta temporada, terá mais uma incomum oportunidade enquanto Renan Ribeiro, hoje terceiro goleiro, coleciona alguns fãs entre a diretoria.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*