São Paulo define como vai tentar travar o Palmeiras no clássico

A maior preocupação de Muricy Ramalho, técnico do São Paulo, para o clássico desta quarta-feira (25), a partir das 22h, no Allianz Parque, pela 12ª rodada do Paulistão, é o meio de campo do Palmeiras.

O comandante repassou a todos seus jogadores que será importante barrar as subidas de Arouca, Gabriel, Robinho e também dos que atuam abertos, como Dudu e Rafael Marques, que deve substituir Allione.

Não à toa, os que mais ouviram instruções de Muricy foram Denilson e Hudson, que vão formar a dupla de volantes.

“A equipe do Palmeiras é boa, está sendo montada agora e é uma equipe de qualidade, que tem o Robinho como o destaque. O Dudu é rápido e também precisa tomar cuidado com ele. Tem o Arouca, o Gabriel.. Enfim, a equipe deles toda é boa, especialemnte o meio-campo, que pega muito e sai bastante para o jogo. Precisamos tomar cuidado”, disse Denilson em coletiva de imprensa.

Hudson também destacou a qualidade alviverde no seu setor e foi outro que elogiou a qualidade de Robinho, que já virou xodó na Academia de Futebol.

“O Robinho flutua muito por trás dos volantes e ele (Muricy) pediu para ter mais atenção. Tem os jogadores que abrem e são rápidos, tem o Dudu e o Cristaldo que seguram bastante a bola lá na frente, e os volantes que sabem sair para o jogo. Além disso, tem a bola parada, que eles contam com jogadores altos e precisamos ter atenção nisso”, completou Hudson em conversa com os jornalistas após as atividades.

Os são-paulinos também trataram de ir contra o que falou o técnico Oswaldo de Oliveira, que tentou minimizar a importância do clássico. Segundo o palmeirense, o jogo não vai “matar ninguém que perder” e “não vale nada de especial”.

Denilson, que completa 200 jogos com a camisa tricolor e marcou seu único gol pelo time do Morumbi justamente contra o Palmeiras, não concorda. “Clássico é clássico e nunca se sabe o que vai acontecer. O espetáculo é bom, tem muitas coisas boas e é isso que nós esperamos. Estamos descansados, o pessoal foi poupado e vamos nos impor”, afirmou.

Hudson também falou sobre o gostinho especial de vencer um arquirrival. “Nós queremos sempre ganhar, mas não tem como negar que vencer o clássico tem um gosto especial para todo mundo aqui”, completou.

Palmeiras e São Paulo ainda não venceram clássicos em 2015. Pior ainda está a situação alviverde, que não vence seus principais rivais no Estado há 13 meses. A última vez, aliás, foi justamente contra o tricolor, por 2 a 0, com gols de Valdivia, que está convocado e não joga, e Alan Kardec, que, hoje, defende os são-paulinos.

 

Fonte: UOl

3 comentários em “São Paulo define como vai tentar travar o Palmeiras no clássico

  1. Mas é bom os jogadores se prepararem sabendo que o jogo será muito difícil, entra mais ligado….e com certeza o adversário também está preocupado em marcar pato, Michel bastos, ganso e LF….Chegou a hora de vencer um clássico, e acho que é amanhã.

  2. Olha o nível que chegamos: Somos nós que precisamos travar o time deles;

    O SEP estava lutando para não cair ano passado, contratou a rodo este ano, venceu apenas jogos fáceis (nós também…), então, pela campanha, manutenção do elenco, entrosamento, etc., quem deveria estar preocupado em travar o outro seria o SEP, não agente.

    Não estou subestimando, e claro que temos que nos preocupar com as jogadas deles, pois isso é primordial hoje em dia, mas não com toda essa ênfase.

    Não vou me alongar muito porque a notícia vem da fonte que vem, então…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*