São Paulo cede empate no final ao Grêmio em Porto Alegre

São Paulo e Grêmio entraram em campo pressionados, sob desconfiança dos seus torcedores. Pelo lado do clube paulista, Luis Fabiano é o personagem. Ora é ídolo, artilheiro e fundamental. Ora é tido como negociável e pipoqueiro. Esse panorama se reflete a cada jogo. E diante do Grêmio, no que pode ser o último jogo com a camisa do tricolor paulista, Fabuloso fez questão de escrever o seu nome na história do clube. Ao marcar, entrou para a história do clube ao chegar aos 173 e se igualar Luizinho. Agora, ambos estão na quinta posição entre os goleadores do Tricolor. Mas, se as turbulências são parecidas, o resultado também foi: 1 a 1, nesta quarta-feira, na Arena Grêmio.

Com o resultado, os dois Tricolores permanecem com oito pontos no torneio, mas, pelo saldo de gols, o time paulista está à frente.

É DE FABULOSO!

O São Paulo vive um dilema que é composto por incertezas e polêmicas. Um resultado negativo pode definir a saída do técnico Ney Franco, pois o time foi derrotado pelo Goiás na última rodada. Além disso, Luis Fabiano, insatisfeito, admitiu que recebeu propostas para deixar o clube. Até Denilson, que tem contrato até o final do mês e segue negociação com o clube poderia ter feito o último jogo com a camisa são-paulina nesta quarta-feira. Poderia. Por conta de dores no joelho, foi vetado da partida.

Do outro lado, um adversário faminto pelo três pontos, mas sob desconfiança. O clube investiu alto na formação do elenco que, em seis meses, ainda parece em construção. Elaboração essa que teve modificações estruturais em sua base. Elano, que apresenta um déficit físico, ficou no banco. Guilherme Biteco, promessa da equipe, também. Com isso, Welliton foi a campo e, o 4-4-2 habitual, deu espaço para o 4-2-1-3, com a linha de três atacantes bem afastada do sobrecarregado Zé Roberto.

Com esquemas parecidos, o clube paulista foi superior. Soube aproveitar as falhas e o nervosismo dos defensores do clube gaúcho. Luis Fabiano, de temperamento imprevisível e qualidade técnica imprescindível a este São Paulo, levou vantagem. Participativo, o atacante buscou o jogo no meio e, nos contra-ataques, levou perigo. A primeira oportunidade, a bola passou à direita de Dida. Na segunda chance, bola no fundo das redes, com participação de Douglas, que lhe deu assistência. Se houve entrevero no intervalo contra o Goiás, este deve ter sido mais calmo…

As duas equipes abusaram de errar passes simples no meio-campo e, a partir de falhas evitáveis, as faltas foram se sucedendo. Principalmente com Pará e Douglas, deficitários na marcação. Mais incisivo, com Aloísio e Osvaldo invertendo o posicionamento, o São Paulo se mostrou um time disposto a superar obstáculos para vencer. Já o time gaúcho, foi ao intervalo com o retumbante som das vaias, principalmente a Luxemburgo.

MUDANÇAS

Na etapa final, o técnico Vanderlei Luxemburgo colocou o time à frente. Optou por Elano e Biteco, que deram mais qualidade à saída de jogo. Mas, o jogo é quente, em que cada brio de atenção é necessário e a briga pela bola é intensa. Zé Roberto e Aloísio que o digam, pois se desentenderam e adicionaram um cartão amarelo ao currículo.

Com as alterações, o Grêmio passou a comandar o jogo, principalmente com Elano. O meia estava em uma noite calibrada. Em dois chutes – um, inclusive, na trave – assustarem a defesa são-paulina. Ganso, que poderia servir para cadenciar o jogo e ser o termômetro tricolor, dando tranquilidade, não foi esse personagem. Os alas tiveram de recuar, tal como Luis Fabiano.

O Grêmio persistiu, com a mesma intensidade, e foi recompensado no final da partida. Kleber, o Gladiador, no final da partida, colocou a cabeça após cobrança de escanteio para marcar. São Paulo ficou com o gostinho da vitória até os 41 minutos, mas o jogo terminou empatado.

PRÓXIMOS JOGOS

Agora, as equipes só voltam a campo após a disputa da Copa das Confederações. E o São Paulo tem uma decisão no retorno. Já encara o Corinthians, no dia 3, pelo jogo de ida da Recopa Sul-Americana, no estádio do Morumbi. Pelo Brasileirão, outro clássico: diante do Santos, em casa. Enquanto isso, o Grêmio enfrenta o Atlético-PR, no dia 7, fora de casa, às 18h30.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 X 1 SÃO PAULO

Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 12/6/2013 – 22h (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Luiz Antonio Muniz de Oliveira (RJ)
Público pagante/total: 15.926/18.422
Renda: R$ 580.550,00
Cartões amarelos: Wellington, Douglas, Aloísio, Juan, Luís Fabiano (SPO) Pará, Zé Roberto, Adriano, Guilherme Biteco (GRE)

Gols: Luís Fabiano – 41’/1ºT (0-1) Kleber – 41’/2ºT (1-1)

GRÊMIO: Dida, Pará, Werley, Bressan e Alex Telles (Ramiro – 25’/2ºT); Adriano (Elano – intervalo), Souza e Zé Roberto; Welliton (Guilherme Biteco – intervalo), Kleber e Barcos – Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Douglas, Lúcio, Paulo Miranda e Juan; Wellington, Denilson e Ganso; Aloísio (Maicon – 29’/2ºT), Luis Fabiano e Osvaldo – Técnico: Ney Franco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.