Rocha cita amizade com Raí e fala em resgatar o São Paulo “campeão”

Novo coordenador de futebol do São Paulo, Ricardo Rocha voltou ao clube por intermédio de Raí. Após receber o convite, o ex-zagueiro se reuniu com o diretor-executivo de futebol na capital paulista e aprovou os seus planos para o Tricolor.

“Nessa conversa, ele expôs o que queria: resgatar tudo o que é o São Paulo, o que a gente acredita ser o São Paulo. E eu acredito nesse resgate, começando por ele, um grande ídolo, uma pessoa que tem uma índole importante”, afirmou Ricardo Rocha à Spfctv.

“Precisa resgatar os jogadores, a autoestima, a vontade de ser campeão, de trabalhar aqui, a alegria do dia a dia. Às vezes tem um clima conturbado fora e afeta dentro de campo. A torcida acreditou nos jogadores no ano passado, houve momentos belíssimos com o Morumbi lotado. É isso que a gente precisa resgatar”, ressaltou.

Juntos, pelo São Paulo, eles foram campeões de dois Campeonatos Paulistas (1989 e 1991) e de um Brasileiro (1991). Na Seleção Brasileira, chegaram a dividir a faixa de capitão na Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos. Agora, os dois querem usar a amizade entre si em prol do Tricolor.

“Eu vi o crescimento do Raí, a sua primeira convocação à Seleção Brasileira, em 1987, quando disputamos um Pan-Americano e fomos campeões juntos. Essa amizade sempre existiu e veio esse convite, que mexeu comigo. Estou feliz de voltar ao São Paulo, uma casa que conheço muito bem”, celebrou o novo dirigente.

De acordo com Ricardo Rocha, sua incumbência será fazer o “meio de campo” entre o elenco e a diretoria. Aos 55 anos, o pernambucano garante estar gabaritado para executar a nova função.

“Fiquei três anos e meio na imprensa, tenho muito conhecimento de fora de campo, conhecendo muita gente no Brasil e fora dele. Isso vai ser muito importante. O relacionamento não vai ser só ali em campo, na motivação dos jogadores, mas um trabalho fora também”, explicou.

“Venho muito motivado e tenho certeza que estarei atento a tudo. Dentro das minhas limitações, vou tentar fazer o melhor possível para ajudar o São Paulo a resgatar o que é o clube. Ninguém pode prometer e dizer: ‘Eu vou ser campeão’. Mas, no mínimo, tem que dizer: ‘Eu vou lutar para ser campeão’”, bradou.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*