‘Quando vim, me disseram que o SP não atrasava salário’, diz Michel Bastos

A situação financeira do São Paulo foi novamente o tema principal no clube paulista nesta segunda-feira. Michel Bastos voltou a falar sobre os atrasos de três meses no pagamento dos direitos de imagem de alguns jogadores. Segundo o meia, a diretoria garantiu que regularizará a situação.

“Quando vim para cá, me disseram que o São Paulo não atrasava salário e sempre arcou com os compromisso. Se soubesse tinha colocado tudo na carteira para receber o dinheiro. Mas estão tentando resolver a situação, falaram que vão fazer o mais rápido possível”, disse o jogador.

Neste domingo, o vice-presidente de futebol do clube, Ataíde Gil Guerreiro disse que o clube deve três meses de pagamento referente aos direitos de imagem. No próximo dia 10, os débitos chegarão a quatro meses.

“Sabemos que a situação esta difícil. Não vejo má-fé. A gente sabe que eles estão tentando regularizar a situação. A gente escuta certas coisas pela imprensa e isso acaba criando esperança de receber, mas conversamos com o Ataíde e ele expôs algumas coisas para gente”, afirmou Michel.
O jogador ainda afirmou que não pretende ir à Justiça para tentar receber os direitos de imagem. “Não tenho essa intenção, por enquanto não tenho essa intenção. Na carteira está regularizado. Está faltando a imagem. Se colocar na carteira, vai receber”, ressaltou o meio-campo.
Alguns jogadores do elenco recebem 100% do salário na carteira de trabalho, sem pagamento de direitos de imagem. O volante Souza é um deles. “Hoje não sei qual jogador recebe só na carteira. Não sei se tem muitos”, disse Michel.
O meia do São Paulo, porém, disse que o fato não influi no rendimento em campo. “A situação que vem desde o ano passado, mas a gente ficou em segundo no campeonato, com bom final de temporada. Neste ano, começamos bem o Campeonato Brasileiro. Ganhar jogos e tudo isso acontece com essa situação”, finalizou.
Nova regra

Juan Carlos Osorio tornou-se um dos principais personagens do clássico deste domingo, marcado pela goleada por 4 a 0 do Palmeiras sobre o São Paulo. O treinador colombiano foi expulso após fazer uma reclamação com o árbitro do jogo. Nesta segunda-feira, Michel Bastos disse que a nova orientação, de mostrar cartão amarelo em qualquer reclamação, mexe com os jogadores dentro de campo.

“Não poder falar com os árbitros é complicado. Tenho até medo de cumprimentar o árbitro, vai que ele entende mal. Eu me seguro. Hoje não tem mais diálogo e conversa. O negócio está muito além”, afirmou o meia.

De acordo com Michel, Osorio disse aos jogadores que apenas conversou o árbitro Anderson Daronco. O colombiano, na ocasião, fez críticas ao cartão amarelo mostrado ao lateral direito Bruno aos 19 minutos do primeiro tempo.

“O Osorio disse que foi falar com o juiz. Em nenhum momento agrediu ou insultou.  Talvez tenha sido um exemplo. Mas ele tava no direito dele de saber sobre o cartão amarelo do Bruno. Não entendo. Eles (árbitros) podem errar, como erram muitas vezes”, disse o meio-campo do São Paulo.

Na súmula da partida, o árbitro disse que Osorio veio em sua direção com o “dedo em riste”. Ao término do jogo, o treinador colombiano fez duras críticas à atitude do juiz.

“Não pude me conter em fazer um reclamação formal e educado ao árbitro. Nos Estados Unidos e na Europa podemos falar com os árbitros. Não sabia que os árbitros eram intocáveis no Brasil. Em nenhum momento fui mal-educado com ele”, disse Osorio, que não poderá comandar o time à beira do campo na próxima rodada, diante do Atlético-PR, em Curitiba, nesta quarta-feira.

Fonte: Uol

9 comentários em “‘Quando vim, me disseram que o SP não atrasava salário’, diz Michel Bastos

  1. É Michel vc foi enganado e o Ozorio recentemente, vcs cairam no fake da porcaria da diretoria, a maior barca furada do estado de Sao Paulo, ate as galinhas que venderam quase tudo de bom no time deles esta melhor que nos, mas vao dizer que o nosso time ainda esta no G-4 acima das galinhas e das pepas, mas acho que na quarta feira ja era, só se o Ozorio fizer milagre, tirar coelho da cartola, pq fazer esse time jogar com grana atrasada, quero ver.

  2. O que mais me irrita é a empáfia dos dirigentes, principalmente os de marketing.
    Já faz um ano que estamos sem patrocínio na camisa; sem alguma empresa que aceite bancar seu nome no uniforme do tricolor paulista.
    Agora pergunto:
    Quantos jogos foram neste ano sem nenhum faturamento por conta disto?
    Quantos jogos ou campeonatos em que poderiam ter sido contratados patrocínios eventuais (numa média de 150 mil por jogo)?
    Algo como 10 milhões poderiam ter sido arrecadados desta forma, com mais inteligência, objetividade e humildade em reconhecer que o “mercado não está pra peixe”. Mas não; a soberba dos dirigentes não deixou verem que era isso o que contava: a grana que deixou de entrar. Dez milhões não seriam nenhuma panaceia mas, com certeza, daria para não deixar atrasar tanto os direitos contratuais dos jogadores.
    E agora? E daqui para frente? Vamos continuar esperando cair do céu um patrocinador único? Ou vamos por para trabalhar essa m… desse departamento de marketing? Não está na hora de reconhecer que o momento não é dos melhores para o clube (em todos os aspectos: moral, financeiro, social e desportivo) deixar de tanta soberba e colocar os pés no chão? Reconhecer que as coisa mudaram; e pra pior?
    Comento tudo isso, mas tenho pouca esperança…

  3. Na verdade o que acontece é uma supervalorização de uns perebas. Como pode o Denilson que foi embora ganhava cerca de 480 mil? TODOS os clubes estão quebrados. Quem não deve pra jogador deve pra governo, empresário, empreiteira e assim vai.
    Ontem o Luxa disse na TV que não assumiu seleções sulamericanas pq pagavam menos do que ele ganha nos clubes. Não compensava.
    Ganham bem pra caramba, ganham mais que executivos de multinacionais e o retorno é essa porcaria de futebol….e quando estava em dia não jogavam pq? Vivem num spa e ainda acham ruim….vão a merda!

    • Completando: se tem o direito de receber q recebam. Não se justifica também o atraso do pagamento. Uma coisa errada não se resolve com outro erro.

  4. Pois é, salário não atrasa mesmo, atrasa pagamento dos tais direitos de imagem, parcela dos vencimentos que tanto atrais esses pangarés. Por que aceitam esse tipo de contrato? Para se beneficiarem das “brechas” fiscais?? Por que não registrar tudo em carteira e pagar todos os impostos como todo mundo? Agora ficam ai de “mimimi”, ah, me poupem!!!

Deixe uma resposta para jose c. duarte Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.