Por que alguns garotos da base estão em baixa no São Paulo?

Com os acertos de Daniel Alves e Juanfran, o São Paulo chegou a 14 contratações para esta temporada – apenas a zaga não teve reforços. O alto número de contratações, porém, deixou jogadores promissores das categorias de base sem espaço na equipe principal do técnico Cuca.

Foram os casos do volante Diego, do meia Gabriel Sara e do zagueiro Morato. Os dois primeiros participaram de toda a preparação do elenco durante a pausa para a Copa América, se destacaram em jogos-treino, mas nunca foram relacionados nos profissionais.

Morato, por sua vez, foi integrado ao time principal antes dos demais e até foi relacionado para três jogos com Cuca (Bahia, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, Avaí e Atlético-MG, pelo Brasileirão). Além disso, o Tricolor recusou propostas de clubes da Europa pelo jogador.

No entanto, como Walce não precisou mais ser improvisado como lateral-direito, Morato retornou à equipe sub-20. O mesmo caminho seguiu Diego e Gabriel Sara. Eles disputam o Brasileirão da categoria e já não treinam mais entre os profissionais.

Por outro lado, os jovens não deixaram de ser observados. Na última quarta-feira, o técnico Cuca e seus auxiliares foram ao Morumbi para acompanhar a vitória do São Paulo sobre o Santos pela décima rodada do Brasileirão sub-20.

No profissional, mas com pouco espaço

Outros jogadores da base que chegaram a ter mais oportunidades em outros momentos também têm vida mais difícil neste momento no elenco.

O maior exemplo é o de Igor Gomes. Titular na reta final do Campeonato Paulista, o meia se tornou um dos principais jogadores do elenco, com gols e assistências. Recentemente, aliás, teve proposta de empréstimo negada pela diretoria tricolor.

Com a recuperação de Everton e a chegada de Daniel Alves para jogar também no meio de campo, o jogador se tornou praticamente a quarta opção – Hernanes, atualmente machucado, está à frente de Igor Gomes no gosto de Cuca.

Cuquinha passa instruções para Igor Gomes no São Paulo — Foto: Marcelo Hazan

Cuquinha passa instruções para Igor Gomes no São Paulo — Foto: Marcelo Hazan

Veja abaixo a situação de Igor Gomes e outros garotos da base no São Paulo:

  • Igor Gomes – de titular no mata-mata do Paulistão, o meia virou quarta opção e tem poucos minutos no Brasileirão. Se no Estadual ele teve 557 minutos em campo, no Brasileirão são apenas 235 minutos;
  • Walce – titular em três jogos no Brasileirão e no jogo de ida da Copa do Brasil contra o Bahia, o zagueiro não entra em campo desde o dia 22 de maio. Cuca vinha trabalhando Walce para ser improvisado, quando necessário, na lateral direita;
  • Helinho – o atacante foi promovido em 2018 aos profissionais e era considerado mais promessa que o próprio Antony. No entanto, até a última rodada do Brasileirão, só teve 68 minutos em campo. Seu último jogo foi em 29 de maio, pela Copa do Brasil;
  • Lucas Fernandes – desde que retornou do português Portimonense não teve mais chances;

No próximo domingo, no duelo contra o Ceará, pela 15ª rodada do Brasileirão, nenhum deles deve ser titular mais uma vez. Walce até poderia ganhar uma chance no lugar de Arboleda, suspenso, mas Cuca sinalizou nos treinos da semana que Anderson Martins deve ser o escolhido.

Igor Gomes também poderia ter uma chance com a lesão na coxa de Hernanes, mas Daniel Alves treinou no meio de campo e há grandes chances do veterano, inscrito no BID, iniciar a partida.

Com essas possibilidades, um provável time do São Paulo é: Tiago Volpi, Juanfran (Igor Vinicius), Bruno Alves, Anderson Martins e Reinaldo; Luan, Tchê Tchê e Daniel Alves; Pato (Everton), Antony e Raniel.

Daniel Alves e Juanfran devem estrear no domingo — Foto: Eduardo Rodrigues

Daniel Alves e Juanfran devem estrear no domingo — Foto: Eduardo Rodrigues

Relembre as contratações do São Paulo para 2019:

  • Goleiro: Tiago Volpi;
  • Laterais: Igor Vinícius, Dani Alves, Juanfran e Léo;
  • Volantes: Willian Farias e Tchê Tchê;
  • Meias: Hernanes e Vitor Bueno;
  • Atacantes: Pablo, Alexandre Pato, Calazans, Raniel e Biro Biro (foi para o Botafogo).

Fonte: Globo Esporte

5 comentários em “Por que alguns garotos da base estão em baixa no São Paulo?

  1. O problema é que não existe uma boa política para aproveitamento dos jovens no time principal do S.Paulo. Pelo contrário: eles são chamados para “apagar incêndios” e são lançados às feras sempre nos últimos minutos das partidas em que o time está mal. Alguns, mais por felicidade do dia do que por preparação, acabam sendo importantes naquele jogo e têm uma segunda chance mas sempre naquela situação: se o time não estiver ganhando bem ao final do primeiro tempo são sacados, mesmo que outros estivessem piores que eles.
    Por exemplo: a matéria diz que o Hernanes está à frente do Igor Gomes.
    Nunca achei o Igor Gomes “isso tudo”. Ele foi bem nas semi-finais do paulistão jogando num esquema diferente com o Mancine. Após a chegada do Cuca ele nunca mais foi o mesmo. Mesmo assim, numa comparação com o Hernanes, senhor de 700tinhos de salários mensais e sem futuro algum na profissão, eu não teria dúvida alguma em inverter a situação. Digo mais: eu escalaria o Juanfran na lateral esquerda e o Dani Alves na direita fazendo uma primeira linha fortíssima no apoio ao ataque e deixaria os meninos se “divertirem” no meio (esqueceria o Hernanes e iria só depositando os caramingués em sua conta) junto ao Pato, o Pablo e o Éverton. Poderia ser uma boa.
    Mas é o S.Paulo, e sua necessidade premente de ganhar alguma coisa acaba cegando quem deveria cuidar de seu patrimônio de atletas. . .

  2. A questão sempre foi saber se o técnico escala por mérito, amizade ou indicação de empresário/dirigente. Se escala por mérito, não há problema.

    Nos melhores anos do SPFC senhor havia atletas jovens disputando espaço com medalhões.

    O repórter, na vontade de “criar” a notícia, ignorou que Anthony (titular!) , Toró, Luan e Liziero continuam com espaço no elenco principal.

  3. Porque não tem condições de integrarem o elenco profissional, simplesmente.
    Igor Gomes é grosso. Helinho não é profissional nem no futebol chinês. Lucas Fernandes mesma coisa.

    Walce ainda não jogou o suficiente para ser avaliado.

  4. Materia sem pe nem cabeça.

    Comeca dizendo que houve alto número de contratações, exceto para zaga. E depois critica a falta de chances para o Walce, que é zagueiro! Parabéns!

    No Brasil, o Sao Paulo tem o elenco mais recheado de jogadores formados no próprio clube. Se é para criticar a “falta de chances”, o globoesporte apontou exatamente no alvo que nao devia.

    E, no final, ao invés de tentar responder a pergunta que a própria matéria inicia fazendo, ela apenas cita a situação de cada jogador. Péssima. Aqui vai a resposta óbvia à pergunta: se a base nao tem tanta chances durante os jogos, é devido à falta de jogos, ja que o Sao Paulo disputa apenas um campeonato. Apenas isso. Nao adianta querer criar caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.