Paulo Miranda tenta volta por cima no clássico para ter paz no São Paulo

A derrota até hoje causa irritação no torcedor do Tricolor. No dia 29 de abril, São Paulo e Santos decidiram no Morumbi uma vaga para a decisão do Campeonato Paulista. O Peixe, que teve Neymar em tarde inspiradíssima, venceu por 3 a 1 (assista aos gols daquele duelo). Do outro lado, a ira do torcedor foi direcionada para o zagueiro Paulo Miranda, o vilão da partida. Afinal, o beque cometeu um pênalti no lance do primeiro gol e teve participação direta no segundo, ao ser facilmente fintado por Neymar.

Depois daquela partida, Paulo Miranda caiu em desgraça no clube do Morumbi. Apesar de ser homem de confiança do então técnico Emerson Leão, o defensor foi sacado da equipe por ordem do presidente Juvenal Juvêncio. Voltou dois jogos depois, mas passou a ser sistematicamente vaiado pelos torcedores no estádio. O treinador foi demitido, Ney Franco chegou e, com ele, veio Rafael Toloi, do Goiás. As chances se tornaram mais escassas e o empresário do atleta, Bruno Balsinelli, chegou a procurar outro clube para seu cliente.

A situação parecia que não mudaria. Até que João Filipe, após uma série de erros, foi sacado da equipe. De surpresa, Paulo Miranda reapareceu na vitória por 3 a 0 sobre a Ponte Preta, quando foi um dos melhores jogadores em campo, inclusive quase marcando um golaço de letra. No jogo seguinte, contra o Bahia, novamente o defensor se destacou e teve nova chance no ataque. Ele quase fez um golaço ao tentar encobrir o goleiro Marcelo Lomba.
Neste domingo, será a hora da verdade para Paulo Miranda. Ele sabe que não poderá vacilar novamente, caso contrário ficará definitivamente marcado pelo torcedor.

– A fase está mudando e isso é ótimo. A cada jogo, a cada treino, estou mostrando serviço. Não vim ao São Paulo para passear. Estou dando a volta por cima. Nada melhor como um clássico para provar isso – afirmou o jogador, em conversa com a reportagem do GLOBOESPORTE.COM.

Durante a entrevista, Paulo Miranda pouco falou sobre seu passado. Mas deixou claro seu desconforto ao se expressar sobre o afastamento ordenado pelo presidente do clube.

– Cara, se foi justo ou não tudo que aconteceu, não importa. Não adianta falar, já aconteceu, não vai mudar. Só quero apagar da minha memória e começar a escrever uma nova história – ressaltou.

O defensor reconhece que sua situação no clube se complicou após a derrota para o Santos. Mas ele considera injustas as críticas que recebeu.

– Eu tenho autocrítica. Zagueiro só dá carrinho dentro da área em último instante. Fiz isso e tenho certeza de que peguei na bola. O próprio juiz demorou a marcar o pênalti. Quem avisou foi o auxiliar que fica atrás do gol. No segundo gol, se fizesse a falta no Neymar, levaria o segundo amarelo e seria expulso. Não quis prejudicar a equipe – disse.

Paulo Miranda deixa claro que essa semana representa muito para ele. O defensor reconhece que sua preparação para o clássico contra o Corinthians está diferente da dos outros jogos.

– Sei o que representa esse clássico contra o Corinthians. Nada pode dar errado. Estou conversando muito com os companheiros e tenho certeza de que estarei pronto para fazer meu melhor jogo com a camisa do São Paulo – finalizou.

Fonte: Globo Esporte – Foto: Vipcomm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*