Pato é ‘reserva’ em todas as posições no São Paulo

Alexandre Pato vai precisar utilizar a experiência de quem jogou cinco anos na Europa para conviver com sua atual situação no São Paulo. A boa atuação da equipe contra o Bahia, na volta do Campeonato Brasileiro, comprovou que o atacante terá vida duríssima para achar espaço na equipe de Muricy Ramalho.

No esquema adotado pelo treinador há algum tempo e que funcionou muito bem na Arena Fonte Nova, Pato dificilmente jogará. A análise é do próprio Muricy.

– Como jogamos com dois atacantes abertos, deixo o Pato com dificuldades. Ele não vai se sentir bem ali e sabe disso. Tem que saber fazer o corredor, ter gás e entendimento. Osvaldo e Ademilson fizeram isso muito bem, com pressão no lateral e marcação – afirmou o treinador.

Pato foi preterido por Ademilson, jovem de 20 anos de quem Muricy já foi muito crítico. Era a chance mais plausível de entrar no time, mas foi rejeitada pela escolha do técnico de manter o esquema que levou o time à parte de cima da tabela.

Contra o Bahia, o São Paulo marcou pressão, abriu bem o jogo pelas pontas, principalmente pela direita, e aproximou os setores. O resultado veio com certa facilidade.

Nas outras variações que Muricy poderá fazer quando tiver todo o grupo à disposição, a situação de Pato pode ser até pior. No ataque, a briga é com Luis Fabiano, artilheiro do time na temporada com 15 gols, e Alan Kardec, de quem o técnico é fã. A estreia dele, aliás, foi importante, anotando um dos gols contra o Bahia.

Na visão de Muricy, a outra posição em que Pato se encaixa é de armador, atrás dos atacantes. Neste caso, Ganso e Kaká são os “adversários”. O problema é que Muricy não está inclinado a atuar com dois jogadores na armação, a não ser para abrir espaço para o talento de Ganso, já que vê Kaká acima da média.

O treinador enxerga no craque, cuja estreia está prevista para o dia 2 de agosto, contra o Criciúma, o exemplo de jogador moderno, muito pela bagagem adquirida na Europa.

Muricy voltou da Copa com indicativos de que observou bem o futebol de fora. Ao mesmo tempo em que explicou a escolha de Pato por Ademilson, disse que até Neymar e Messi ficam no banco no Barcelona e comparou Alan Kardec ao holandês Kuyt, pela versatilidade.

Para o jogo deste sábado, contra a Chapecoense, no Morumbi, Luis Fabiano pode seguir fora. Assim, a tendência é que Muricy repita a formação do último jogo. Ou seja, com Alexandre Pato fora.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*