Palmeiras mostra eficiência e derrota o São Paulo

O Palmeiras não precisou ficar muito com a bola e até passou certo sufoco durante o clássico, mas mostrou eficiência para fazer dois gols nos segundo tempo e conseguir uma importante vitória sobre o São Paulo, neste domingo, no estádio do Pacaembu. Após muito correr atrás dos laterais são-paulinos, Dudu abriu o placar em boa jogada de Alecsandro e viu Robinho marcar outro belo gol ante o rival e selar o 2 a 0 dos visitantes.

O resultado coloca o Palmeiras em boa situação no Grupo B da competição, abrindo folga na liderança da chave. Além disso, os agora comandados de Cuca ganham moral para encarar o duro embate contra o Nacional-URU, quinta-feira, na casa do adversário, pela Copa Libertadores da América.

Já o time de Edgardo Bauza, que piorou justamente quando o treinador colocou os titulares em campo, teta esquecer o resultado para viajar à Venezuela, país no qual encara o Trujillanos, na quarta-feira. Uma vitória é considerada essencial pelos são-paulinos, que ainda não conseguiram vencer no torneio. Pelo Estadual, os tricolores seguem na vice-liderança do seu grupo.

Na próxima rodada, depois de ambos fazerem os decisivos jogos pela Libertadores, o Tricolor visita o Ituano, às 16h (de Brasília), no domingo, no estádio Novelli Júnior. No mesmo dia, mas às 18h30, os palmeirenses encaram o Osasco Audax, na casa do adversário.

O Jogo – Os primeiros 30 minutos de bola rolando pareciam mostrar apenas um time dentro de campo. Aproveitando-se da dificuldade do Palmeiras em marcar pelas laterais, o São Paulo abusou das bolas para Rogério no lado esquerdo e conseguiu construir pelo menos cinco chances claras de gol.

A primeira foi logo aos oito, quando o atacante são-paulino foi para cima de Lucas, ganhou de Allione e bateu forte de fora da área, exigindo defesa segura de Prass. Na sequência, Michel Bastos cobrou escanteio pelo lado direito do ataque na segunda trave. Rodrigo Caio ganhou de Matheus Salles e cabeceou rente à trave.

Depois, o domínio ficou ainda mais claro por parte do Tricolor. Apostando na manutenção da posse de bola e contando com bastante dinâmica dos reservas escolhidos para atuar, os mandantes até chegaram a abrir o placar. João Schmidt cabeceou cruzamento na medida de Carlinhos, mas o bandeira apontou impedimento inexistente do volante.

O tento anulado, porém, acabou servindo para acordar o Palmeiras. Allione foi invertido de lado com Dudu, que acertou a marcação pelo lado direito e deu ao argentino a possibilidade de um confronto um contra um ante Caramelo, sempre vencido pelo palmeirense. Em duas oportunidades, ele ganhou na habilidade e mandou na medida para Alecsandro, mas o centroavante desperdiçou.

Talvez assustado com a pressão adversária, o Tricolor não conseguiu mais segurar a bola em seus pés e também viu um erro da arbitragem ajudá-lo. Dudu recebeu belo passe por cima de Alecsandro e finalizou por cima de Denis. Outra vez, no entanto, a arbitragem enxergou um impedimento inexistente.

No começo do segundo tempo, porém, o jogo pareceu retornar ao cenário dos 30 minutos iniciais. Os são-paulinos retomaram o controle da posse de bola e voltaram a levar perigo em lances trabalhados pelo lado, quase sempre terminando em tentativas de chute a gol ou faltas laterais. Carlinhos, nome das bolas paradas, contribuiu bastante para as chances de gol, batendo sempre com muita precisão.

Edgardo Bauza percebeu o bom momento do seu time e avaliou que seria a hora de mandar a campo alguns titulares poupados, principalmente os de maior qualidade no ataque. Dessa forma, Paulo Henrique Ganso, Calleri e Centurión deixaram o banco de reservas para substituir Daniel, Alan Kardec e Rogério, respectivamente.

As mudanças, no entanto, coincidiram com a melhora do Palmeiras, praticamente no mesmo instante do primeiro tempo. Dudu chamou o jogo para si e levou bastante perigo em contra-ataques, mas levava azar de ter que tocar sempre para Alecsandro, voluntarioso e dono até de boa atuação, mas sem precisão nos chutes, que desperdiçou todos os lances criados para ele.

A sorte do camisa 7 mudou quando o companheiro assumiu sua função pelos lados e lhe deu a chance de concluir uma vez. A jogada acabou construída pela direita, com passe de Allione para o centroavante. Carlinhos foi mal e não conseguiu cortar o lance, deixando a defesa no mano a mano. O camisa 9 mostrou que a precisão estava guardada para os passes, cruzou rasteiro e Dudu chegou antes de Caramelo para estufar a rede.

O gol desmontou o esquema são-paulino, que ruiu frente ao toque de bola do adversário. Praticamente assistindo às bolas trabalhadas pelo ataque palmeirense, a defesa pôde ver de um dos melhores lugares do estádio a pintura de Robinho. O meia, que já havia feito belos tentos sobre Rogério Ceni, no ano passado, recebeu de Allione, dominou e bateu com a perna esquerda, no ângulo de Denis.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 X 2 PALMEIRAS

Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 13 de março de 2016, domingo
Horário: 11 horas (de Brasília)
Público: 13.466 pagantes
Renda: R$ 495.978,00
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Carlos Augusto de Nogueira Junior (ambos de SP)
Cartões amarelos: Hudson, Bruno, Maicon e Caramelho (São Paulo); Edu Dracena, Matheus Sales e Dudu (Palmeiras)

Gols:
PALMEIRAS: Dudu, aos 29, e Robinho, aos 41 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Denis; Caramelo, Rodrigo Caio, Maicon e Carlinhos; João Schmidt, Hudson, Rogério (Centurión), Daniel (Paulo Henrique Ganso) e Michel Bastos; Alan Kardec (Calleri)
Técnico: Edgardo Bauza

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas (João Pedro), Edu Dracena (Thiago Martins), Vitor Hugo e Zé Roberto; Matheus Sales, Arouca, Robinho e Allione; Dudu (Gabriel Jesus) e Alecsandro
Técnico: Alberto Valentim

Um comentário em “Palmeiras mostra eficiência e derrota o São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*