Obra do Morumbi pode ser barrada de novo. Mas Kalil perderá votos

novo_morumbi

As obras de cobertura, arena e estacionamento do estádio do Morumbi, orçadas em R$ 460 milhões, podem ser barradas novamente nesta quarta-feira. Uma ala da oposição são-paulina quer repetir o boicote que barrou a votação do projeto em dezembro de 2013. A iniciativa pode até fazer com que a modernização do estádio não saia do papel, mas terá efeito na eleição presidencial: consequentemente, Kalil Rocha Abdalla perderá votos contra Carlos Miguel Aidar.

Já é certeza que Carlos Miguel Aidar será eleito presidente do São Paulo. O indicado por Juvenal teve ligeira vantagem na eleição de conselheiros, do último sábado, e esperava vencer a eleição precidencial por cerca de 130 votos a 100 votos do oposicionista. A nova tentativa de boicote, no entanto, afetará os votos de Abdalla.

Para boicotar a votação do projeto do Morumbi os oposicionistas contrários não comparecerão à votação presidencial. Uma vez que presidente e reforma do estádio serão votados na mesma reunião , um em seguida do outro, o conselheiro só assina a lista de presença uma vez. Caso não haja 177 conselheiros presentes na noite desta quarta-feira no Morumbi – número que representa 75% do conselho deliberativo – o projeto do Morumbi não poderá ser colocado em votação.

A ideia de colocar a votação do Morumbi foi do candidato Carlos Miguel Aidar, que conseguiu vencer a resistência de Juvenal Juvêncio.

O projeto foi elaborado para captar investidores por meio de um fundo que bancará todos os custos da reforma que envolve a construção de uma arena para shows. Em troca, o São Paulo cede os direitos sobre a exploração desse espaço de shows ao fundo. A estimativa é de que a reconstrução demore 18 meses.

 

Fonte: Uol

Um comentário em “Obra do Morumbi pode ser barrada de novo. Mas Kalil perderá votos

  1. kartolas & politicos
    nao sei mesmo como definir,
    mas e certo que fazem parte do poder,
    por isso estao la.
    Nao sei mesmo dizer se prejudicam ou nao
    o futuro do MORUMBI.
    E olhem que sao farinha do mesmo saco.
    Imaginem se nao fossem,
    “O que adianta cantarem irmanados nosso hino se brigam entre si”.
    Pelo poder que o patrimonio se ferre, essa e a verdade escancarada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*