O que o São Paulo pensa para André Jardine

O São Paulo tem a ideia de ter André Jardine como um auxiliar fixo, mas sem queimar etapas. O clube está convencido de que tem em mãos um grande profissional e pensa em formar o atual treinador do sub-20 para que no futuro ele vire o técnico do time principal.

Como e quando isso será feito, no entanto, são as grandes questões. Nos bastidores, a informação é de que essa transição de Jardine da base ao profissional, mesmo como auxiliar, não será feita imediatamente.

Embora a ideia agrade dirigentes internamente, o Tricolor estuda os movimentos a serem feitos para não causar desconforto a Jardine e também a Dorival Júnior.

O São Paulo não quer transformar o técnico da base em uma sombra para o pressionado Dorival. Tampouco queimar Jardine, em meio à forte pressão. Seu futuro é visto como promissor.

Dorival, por sua vez, está mantido para dirigir o time contra o CRB, quarta-feira, no Morumbi, pela terceira fase da Copa do Brasil. Os atletas, inclusive, defendem a permanência.

Dorival Júnior, André Jardine e Pedro Smania, coordenador da base do Sao Paulo (Foto: Marcelo Hazan)

Dorival Júnior, André Jardine e Pedro Smania, coordenador da base do Sao Paulo (Foto: Marcelo Hazan)

Jardine e Dorival mantêm ótima relação, ainda mais estreitada pelo intercâmbio de atletas da base para o profissional. Mas desde que foi contratado pelo Tricolor, ainda com o diretor Vinicius Pinotti, em julho de 2017, Dorival e direção combinaram que ele trabalharia com a sua comissão.

Na época, inclusive, o auxiliar Pintado deixou o clube, pouco depois da demissão do ídolo Rogério Ceni. A direção tomou a decisão, e Dorival não se opôs à saída.

Assim como o São Paulo, Dorival também considera Jardine um grande profissional. Mas mesmo pressionado pelos resultados recentes (duas derrotas e um empate), ele pretende seguir trabalhando com a sua atual comissão técnica.

Participam ativamente dos treinamentos no CT da Barra Funda: os auxiliares Lucas Silvestre e Leonardo Porto, os preparadores de goleiros Marco Antônio Trocourt e Octávio Ohl, os preparadores físicos Pedro Campos e Henrique Martins, além dos analistas de desempenho Luis Felipe Batista e Raony Tadeu.

– É uma conversa que ficou agendada para o retorno, com o presidente, o Raí, o Ricardo Rocha… Pessoal do profissional. Preciso ouvir deles o que pensam, qual o projeto, a importância. O que eles têm para mim dentro do clube – disse Jardine, ainda no Uruguai.

– Hoje eu me sinto valorizado, mas se for ainda mais importante minha presença em outra função, vou estar disposto a ouvir. Vamos tomar a decisão em conjunto – afirmou o hoje técnico do sub-20.

Jardine comandou a campanha do Tricolor quarto colocado na Libertadores Sub-20, em Montevidéu, no Uruguai.

Fonte: Globo Esporte

8 comentários em “O que o São Paulo pensa para André Jardine

  1. Também acho que o SPFC poderia investir muito mais em Jardine, e como foi dito abaixo deveria bancar o intercâmbio e cursos na Europa, formar um profissional do clube e não apenas técnico do time principal.

  2. JARDINE DE OLHO TAPADO É MELHOR DOQUE O ASSISTENTE ATUAL DO LORIVAL JUNIOR(ESTE NÃO SERVE NEM PRA ESQUENTAR O BANCO).JARDINE DEVE SABER QUAL O “GAROTO” QUE DÊ MELHOR ENCAIXE,A GAROTADA É PATRIMÔNIO DO CLUBE.NÃO PODE TRAZER COMPADRES DO TÉCNICO,ETC,POIS ÊLE VAI E a bomba fica !!!LUXA OU CUCA,DEVE PINTAR NA QUINTA FEIRA,POIS ANTES DEVE TER UM PANELAÇO DE VAIAS…..

  3. Conforme for os resultados contra o CRB e na sequencia do Paulista é que dira se DJr vai ou nao ser demitido, pois clima ele ja tem mais, nao tem mais o dominio nao tem os jogadores nas maos, pois é so perceber as ultimas substituicoes, tem trocado 6 por meia duzia, apesar de algumas limitacoes no elenco, falta de alguns jogadores em alguma posicao potuais, temos time para estar melhor que estamos tanto na copa do Brasil como no Paulista, mas infelizmente o DJr nao consegue dar liga, vamos ver a sequencia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*