Ney Franco dá recado para diretoria do SP e pede cada um na sua

O novo técnico do São Paulo, Ney Franco, será apresentado apenas na segunda-feira, mas já deixou claro que não pretende sofrer com os mesmos problemas de seu antecessor, Emerson Leão. Em entrevista a Rádio Bandeirantes, o treinador admitiu que a diretoria pode sim manter diálogos com a comissão técnica, mas sem nenhum tipo de interferência na escalação do time.

“Estou indo para o São Paulo para exercer minha função como treinador. Eu não acho que um clube sério contrate um treinador para ser manipulado. Tem que haver diálogos, mas a gente sabe que a decisão final em definir o time é do treinador. Cada um na sua área. Já trabalhei com grandes diretores do futebol brasileiro e nunca tive problema”, disse Ney Franco.

Enquanto esteve no São Paulo, Emerson Leão sofreu justamente com isso. Sempre que podia, o ex-técnico deixava a entender que não tinha nenhuma ligação com a montagem do elenco e ainda se viu obrigado a deixar o zagueiro Paulo Miranda, um de seus preferidos, de fora por decisão da cúpula tricolor.

Se Leão era ignorado pelos dirigentes, Ney Franco mesmo de longe já ajudava o São Paulo. Ele lembrou que mesmo de longe foi questionado sobre o potencial do zagueiro Rafael Tolói, nova contratação do clube.

“Não foi eu que pedi, mas há um tempo atrás, eu já tinha conversado com São Paulo e o Adalberto [Batista, diretor de futebol] e o Milton [Cruz, auxiliar técnico], me perguntaram o que eu achava dele. Dei todas as referências, mesmo não sendo o treinador do time e avisei que era um jogador interessante que poderia dar o retorno técnico para o elenco”.

Ney Franco ainda lembrou que essa foi a terceira vez que o São Paulo tentou sua contratação e que dessa vez não poderia deixar passar.

A gente sabe que o são Paulo que o tem muitos profissionais com qualidade em todas as áreas. Tudo isso fez com que eu voltasse para uma equipe, que tem todas as condições de conquistar um título.

“Eu sempre tenho tomados decisões certeiras e essa foi mais uma. Eu poderia ficar na CBF, continuar o projeto, mas foi a terceira vez que o clube demonstrou interesse. Estarei ao lado de profissionais com qualidade e podemos conquistar títulos”.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*