Ney admite angústia durante blitz corintiana: “Queria pedir tempo”

O São Paulo foi encurralado pelo Corinthians no começo do primeiro tempo do clássico deste domingo e viu o rival abrir o placar aos cinco minutos, com Emerson. Sem ter tido muito o que fazer além de orientar os atletas mais próximos, Ney Franco admite: viveu momentos de angústia.

“Eles perderam oportunidade de, nos 30 minutos, fazer mais dois ou três gols. Fomos felizes porque a bola não entrou, eles perderam gols. É angustiante. Você lembra o tempo em que jogava futebol de salão, que dava para virar para o árbitro e pedir tempo”, disse o treinador.

A única medida tomada por ele foi tirar Douglas da esquerda e voltá-lo à sua posição de origem, a lateral direita, que vinha sendo ocupada pelo zagueiro Paulo Miranda.

“Com a passagem do Paulo para o lado contrário, pude liberar mais o Douglas. Quando percebemos que não dava para jogar  da forma que estava, optei por ficar com uma só improvisação (Paulo Miranda de lateral esquerdo). Esse detalhezinho fez com que nossa equipecrescesse”, avaliou.

O gol de Luis Fabiano aos 23 minutos após boa jogada de Lucas equilibrou a partida e deu tempo para Ney Franco, no intervalo, orientar os jogadores. Ele basicamente cobrou mais concentração e menos erros na saída de bola. Em um contragolpe, Luis Fabiano fez outro gol e definiu a virada.

“Voltamos para o segundo tempo da forma como imaginei. É que no início do jogo, acho que nosso time deu uma sentida. Talvez tenha pesado. Depois conseguimos encaixar e jogar o segundo tempo como se estivéssemos em campo neutro, diante da nossa torcida”, concluiu o comandante.

Com a vitória deste domingo, o São Paulo pulou para 31 pontos e assumiu a quinta colocação do Campeonato Brasileiro. Na quinta-feira, a equipe enfrenta o Botafogo, no Engenhão, pela primeira rodada do segundo turno da competição nacional.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*