Muricy prepara “bagunça organizada” para fazer SP render com estrelas

Como compor um time com quatro jogadores ofensivos e que não têm características defensivas? Muricy tentou fazer isso pela primeira vez no último domingo e indicou o caminho que deve seguir. Para fazer Kaká, Ganso, Pato e Kardec (ou Luiz Fabiano) funcionarem juntos, o técnico do São Paulo deve dar liberdade ao grupo.

“O Muricy determinou a forma de jogar, deu liberdade para criarmos a movimentação. Aos poucos a gente tá ajustando e hoje foi uma demonstração disso”, disse Kaká à rádio Globo logo após o 3 a 1 sobre o Vitória, quando o esquema foi um sucesso.

Quem acompanhou a partida viu que os quatro homens de frente não guardaram posição. Antes do jogo, Muricy chegou a falar em uma formação com Kaká mais pela esquerda e Ganso do lado oposto. Em campo, não foi assim.

Foi pela esquerda que Ganso deu o passe para Pato marcar o primeiro gol. Kaká, ao contrário, caiu pela direita para tabelar com Pato e Douglas.

A movimentação do quarteto foi constante e permitiu que o São Paulo criasse chances de gol. Quando perdeu Alan Kardec por lesão, o time caiu de produção com Osvaldo isolado na ponta, quebrando a rotação dos colegas.

“São jogadores que você não pode deixar em uma função só. Eles vão ser marcados e não vão ficar bem. Demora um pouco de tempo para você entrosar. São jogadores acima da média, inteligentes, facilita bastante”, disse Muricy Ramalho.

A única regra que o treinador impõe é que todos participem da defesa. Ainda que de forma intuitiva, Muricy pede que os quatro jogadores, que não são reconhecidos pelo poder de marcação, tentem ajudar os companheiros.

“Quando acaba a jogada pelo lado eles têm de voltar para ocupar espaço por ali. Eles não são grandes marcadores, mas vão atrapalhar os marcadores porque vão estar por ali. Os do meio voltam pelo meio, os da ponta pela ponta”, concluiu Muricy.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*