Muricy manda recados para Alexandre Pato

Kaká vai estrear no domingo. Ademilson vai continuar no time titular. E tudo isso serviu para o técnico Muricy Ramalho mandar uma série de indiretas ao atacante Alexandre Pato nesta sexta-feira, em entrevista coletiva.

“[Pato] é um talento. Eu o conheci muito pequeno no Internacional, e ele já era um talento. Sempre foi. Mas é claro que o jogador não pode ser só talento, e a gente teve o grande exemplo na Copa: grandes craques trabalharam muito para o time. O lado individual é importante, mas este Mundial mostrou que nem todos têm um Neymar ou um Messi”, teorizou Muricy.

Pato foi reserva do São Paulo nas duas partidas depois da Copa de 2014 (vitória sobre o Bahia e derrota para a Chapecoense). O time do Morumbi atuou num 4-2-3-1, e Muricy Ramalhou preferiu Ademilson e Osvaldo abertos.

No domingo, Kaká vai estrear. Revelado pelo São Paulo, o meia foi melhor do mundo em 2007, quando defendia o Milan, e está emprestado pelo Orlando City ao time do Morumbi até o fim deste ano. Com ele à disposição, Muricy abriu mão de Osvaldo, um jogador de velocidade, e mudou a característica do time.

“Você não pode ter dois jogadores parecidos porque dois plantados lá na frente não adiantam nada. Você tem de ter movimentação, que é o que o Ademilson faz, e ele ainda dá velocidade, o que é diferente do Kardec”, avaliou o treinador.

A tendência é que Kaká atue aberto pela esquerda no início do jogo contra o Goiás, mas ele pode criar uma variação no São Paulo. Com ele e Paulo Henrique Ganso, que hoje é o único armador, o time pode abrir espaço a um segundo atacante que não fique preso ao lado do campo. Teoricamente, esse seria o cenário ideal para encaixar Alexandre Pato no time.

“Desde que ele tenha movimentação”, avisou Muricy. “Mas o Pato tem mais chance de jogar, sim. Ele está fazendo os treinamentos, se movimentando, mas agora precisa esperar uma oportunidade para que a gente veja isso no jogo. Aí é que a gente vai sentir”, completou.

Apesar dos elogios a Pato, todo o comportamento de Muricy tem servido como recado ao camisa 11. Inicialmente, o treinador rechaçou escalar o atacante porque o 4-2-3-1 não o favorecia. Depois, tornou o esquema menos rígido para ter Kaká no time e ainda manteve Ademilson, o menos badalado entre os titulares do setor ofensivo atualmente.

“Cada um tem sua maneira de pensar futebol, e aqui a gente pensa desta maneira: não tem história de trazer jogador, de ter nome ou não ter nome. Não faz a menor diferença. Por isso que aqui existe um respeito muito grande entre eles e deles com a comissão técnica. Se não for assim, nossos meninos não vão ter chance nunca. Aqui joga quem é melhor para o time, e eles sabem disso: vai jogar quem estiver melhor”, avisou Muricy.

Questionado sobre a permanência de Ademilson e se o atacante seria o “patinho feio” do ataque tricolor, Muricy respondeu de forma irônica: “Feio ele é mesmo. Muito feio, aliás. Ele tem de aproveitar a boa fase no futebol para pôr logo uma aliança. Senão…”.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*