Ministério Público impõe veto à torcida organizada do São Paulo

Maior organizada do São Paulo, a Torcida Tricolor Independente não poderá entrar nos estádios com uniformes, faixas, bandeiras ou instrumentos com qualquer identificação da uniformizada. A determinação partiu do Ministério Público de São Paulo e foi acatada pela Federação Paulista de Futebol.

O veto tem relação à confusão causada pela torcida na Praça Charles Miller, em frente ao estádio do Pacaembu, antes do duelo com o Cruzeiro, no dia 2 de junho, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, 83 membros da Independente foram detidos pela briga.

A medida começa a valer a partir do retorno do Brasileirão, paralisado desde junho para a disputa da Copa América. O primeiro compromisso do São Paulo pela competição é o clássico contra o Palmeiras, no dia 13 de julho, às 19 horas (de Brasília), no Morumbi.

A determinação foi registrada na última terça-feira no MP-SP. Nesta quarta, a FPF aceitou a solicitação de forma integral.

Abaixo, veja a nota oficial da FPF sobre o caso:

“ROBERTO CICIVIZZO JÚNIOR, Vice-Presidente do Departamento de Segurança e Prevenção de Violência, no uso das atribuições legais e regimentais.

CONSIDERANDO os termos do documento, de 03 de julho de 2019, por meio do qual o Ilustre Promotor de Justiça do Jecrim/Juizado do Torcedor solicita a proibição do uso de instrumentos musicais, faixa, “bandeirão”, objetos, indumentárias e demais acessórios que identifiquem a torcida organizada “G.E.R.C. Torcida Tricolor Independente”, do São Paulo Futebol Clube.

CONSIDERANDO que é dever desta Entidade preservar a disciplina nos campos de futebol.

INFORMA:

Atender integralmente a solicitação do Ministério Público do Estado de São Paulo, para que seja proibida a entrada, nos estádios de futebol do Estado de São Paulo, de objetos, faixas, bandeirões, instrumentos musicais, indumentárias e demais acessórios que identifiquem a torcida organizada ““G.E.R.C. Torcida Tricolor Independente””, do São Paulo Futebol Clube, a contar desta data.

A Federação Paulista de Futebol oficiará aos Órgãos de Segurança Pública do Estado, Ministério Público do Estado de São Paulo e a CBF, com cópia do referido documento 03/07/2019, parte integrante da presente Portaria, para fins de fiscalização no cumprimento das recomendações ali constantes.
Esta Portaria entra em vigor na presente data, revogadas as disposições em contrário.

Roberto Cicivizzo Júnior
Vice-Presidente do Departamento de Segurança e Prevenção de Violência”.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.