Milton Cruz inverte conceitos de Leão e admite imaturidade no elenco

Tranquilo e sem medo de mudar. Foi assim que Milton Cruz reassumiu o São Paulo de forma interina pela 15ª vez, agora após a saída do técnico Emerson Leão. Mesmo há pouco tempo no comando do Tricolor, ele inverteu os conceitos do antecessor e admitiu preocupação com a imaturidade do atual elenco.

A confissão de Milton Cruz foi motivada quando o interino falou da pressão que os jogadores sofreram no Canindé durante os 90 minutos da derrota por 1 a 0 para a Portuguesa na sexta rodada, que foram decisivos para a demissão de Leão. O interino teme que se repita o mesmo filme de 2004, quando os são-paulinos protestaram de forma veemente contra o time. O ambiente criado provocou a saída precoce dos ídolos Kaká e Luis Fabiano para a Europa.

“A gente viu no jogo contra a Portuguesa a pressão nos jogadores. Eles estavam assustados. Acho que são garotos que sentem como o Kaká sentiu, como o Luis Fabiano e outros jogadores que passaram pelo clube e foram muito criticados. Acho que torcida tem que ter um pouco de paciência com os jogadores”, declarou em entrevista exclusiva para o UOL Esporte.

Milton Cruz acredita que a imaturidade do elenco se deve pela pouca média de idade, além da ausência dos mais experientes no time, casos do goleiro Rogério Ceni e do volante Fabrício que, lesionados, ficaram fora de grande parte dos jogos do Tricolor na temporada – Rogério, inclusive, ainda não atuou em 2012.

Reconstrução tática

Desde que assumiu, Milton Cruz fez inúmeras mudanças no dia a dia do São Paulo em relação ao trabalho de Leão. E todas elas passam pela alteração de conceito. Em resumo: os coletivos foram praticamente abolidos, os ‘rachões’ voltaram e existe uma preocupação defensiva e tática maior.

Apesar de não admitir verbalmente, Milton deixou a entender nas entrelinhas que acha que o problema do São Paulo era tático. Na sua visão, o time comandado por Leão era muito ofensivo e exposto.

“Acho que não tinha problema tático, foi mais o posicionamento que eu mudei para dar uma segurança maior para a defesa. Procurei contra o Cruzeiro [sábado passado] colocar três zagueiros, não deixar o Denilson sair muito, dar mais liberdade para o Maicon e pedir ao Lucas e ao Jadson para marcar os volantes”.

Milton Cruz relembrou a experiência que passou em 2003 (comandou o time por oito meses ao lado do preparador de goleiros Roberto Rojas) para mostrar confiança que o elenco atual do São Paulo renderá frutos e deixará o seu torcedor contente.

“É como eu falo. A média de idade do nosso time é muito baixa. Um time não se monta do dia para a noite. O time que fez sucesso em 2005, começou a ser montado em 2003”, relembrou Milton ao falar da equipe campeã paulista, da Libertadores e do Mundial no mesmo ano.

“Esse é um time jovem, não é como em 2005 que já tinham jogadores mais rodados. É um time que requer um pouco mais de rodagem para conquistar os títulos, mas pode dar muitas alegrias. Colocando uma peça ou outra que a gente sabe onde está faltando, quem sabe esse time possa render mais”.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*