Mescla no elenco e atenção em Cotia: Leco fala sobre ideias para 2019

Após confirmar a efetivação do técnico André Jardine no comando do São Paulo para o ano que vem, o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, comentou sobre o planejamento do Tricolor para 2019 e deixou claro que o clube pretende fazer uma mescla entre a promoção de alguns atletas promissores das categorias de base e nomes mais experientes, que serão contratados na próxima janela de transferências.

Classificado para a Copa Libertadores do ano que vem, o São Paulo ainda tenta uma vaga direta na fase de grupos da competição continental. Apesar da indefinição, o clube se prepara para voltar a conquistar títulos – algo que não acontece desde a temporada 2012 quando levou a Copa Sul-Americana. Por isto, a ideia é montar um elenco competitivo, mas sem abrir mão dos talentos revelados em Cotia.

– Não haverá prevalência, predominância de um ou de outro. Digo, de atletas da base ou de um elenco que seja contratado, um elenco mais maduro. Vamos equilibrar esses conceitos. Temos todas as condições para fazer isso, de forma que o futebol do São Paulo jogado na base, e jogado no profissional terá uma absoluta identidade. Este é o projeto. Nós não acreditamos que seja possível que só com a base o futebol principal do São Paulo se desenvolva em tantos torneios que vai jogar no ano que vem: o Paulista, a Libertadores, o Brasileiro e a Copa do Brasil. Não é possível. Vamos mesclar valores mais maduros, mais experientes e mais qualificados. Enfim, esperando que com isso a gente devolva ao São Paulo a grandeza que é da sua história – revelou o presidente Leco em entrevista ao LANCE! na noite do último sábado, logo após o São Paulo garantir o título do Campeonato Brasileiro de Aspirantes.

Para a próxima temporada, o São Paulo estuda algumas contratações pontuais para reforçar seu elenco. O clube busca um lateral-direito, um goleiro, um meia armador e atacantes que possam jogar pelas beiradas do campo. Algumas dessas posições, no entanto, poderão ser preenchidas por jogadores formador pelo próprio clube, em Cotia. Leco comentou sobre a importância da categoria de base para o Tricolor e fez elogios ao trabalho exercido por lá.

– É um trabalho que é indiscutível e que se desenvolve ao longo dos anos. Ele não é simplesmente fruto deste momento, mas ele é uma obra que vem sendo desenvolvida há um bom tempo pelo São Paulo, com a diferença de que nunca houve uma sinergia, uma intensidade de utilização dos jogadores da base como hoje é feito atualmente no futebol (profissional) do São Paulo. Hoje é comum ver nos nossos dias lá da Barra Funda muito desses meninos, que não só vão treinar, como participam, se habituam, vivenciam toda a realidade do que é o futebol. Isso é muito importante – pontuou o cartola.

Embora o São Paulo já tenha definido seu treinador para a próxima temporada e tenha iniciado o planejamento, ainda é preciso conquistar uma vaga direta na fase de grupos da Copa Libertadores. Isto porque, o clube disputará a Florida Cup na primeira quinzena de janeiro e tem a estreia no Campeonato Paulista na semana seguinte. Caso jogue a fase prévia do torneio continental, a primeira partida seria no início de fevereiro.

–  Temos que viver com essa possibilidae e enfrentar esse fator que é real, é o que se apresenta e vamos ter que passar por esses dois primeiros adversários da fase eliminatória, para depois pegar a fase de grupos com os outros jogos – concluiu o presidente do São Paulo, demonstrando confiança quanto ao próximo ano do Tricolor.

Atualmente, a equipe está na quinta colocação do Campeonato Brasileiro, com 62 pontos ganhos, o mesmo número do Grêmio – o primeiro dentro do G4. Na próxima segunda, o São Paulo mede forças com o Sport, no Morumbi, em busca de retomar sua vaga entre os quatro primeiros da tabela.

 

Fonte: Lance

2 comentários em “Mescla no elenco e atenção em Cotia: Leco fala sobre ideias para 2019

  1. O problema maior é o próprio Presidente… um dirigente obscuro, que fez carreira à sombra do Juvenal Juvêncio e, portanto, desprovido da característica de liderança indispensável para o exercício do cargo. Para piorar, ele vive cercado de uma trupe de baba-ovos, cuja intenção é se locupletar da instituição.

  2. Canalha…
    Com Rogerio Ceni ele disse a mesma coisa. Mas foi só o time jogar bem, e ofensivo e revelar jogadores que ele foi la e vendeu Neres, Luís Araújo, Lyanco, Thiago Mendes, Maicon…

    E depois colocou 100% a culpa da campanha do SP nas costas do Rogerio… foi a atitude mais covarde de toda história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*