“Matheus” para Osorio, Dória vive indefinição, mas diz: “Por mim, eu fico”

Fora do futebol, o zagueiro Dória, do São Paulo, só era Matheus para sua mãe. Mas depois que saiu do Botafogo para jogar na França, precisou se acostumar a ser chamado pelo primeiro nome por seus treinadores. Foi assim com Marcelo Bielsa, no Olympique de Marselha. É assim com Juan Carlos Osorio, no São Paulo. O zagueiro, porém, não sabe como será chamado depois do dia 30 de junho.

O contrato do defensor termina no fim do mês. O São Paulo quer sua permanência, novamente por empréstimo, mas o time francês só aceita a venda. Apesar da indefinição, Dória garante que quer ficar.

– Eu não tenho como saber ao certo o que vai acontecer. Mas estou muito feliz aqui no São Paulo. Estamos em primeiro, vamos buscar esse título. Só posso dizer que estou feliz. Vai dar tudo certo – disse o jogador.

– Eu conversei com a minha esposa. Quero jogar. Aqui, estou tendo uma sequência boa, venho fazendo boas partidas. Não sou só eu que decido, mas, por mim, eu fico – completou

Nas últimas semanas, chegou a ser noticiado na França que Dória voltaria para ser emprestado novamente, mas, dessa vez, para o mercado europeu. O zagueiro afirma não saber de nada, apenas de boatos.

– Essa situação do Galatasaray foi um mal entendido. Uma conta fake com meu nome falou que eu estava em Istambul. Todo mundo me ligando. E falaram que eu estava lá, sendo que eu estava em casa. Por isso estou tranquilo. Estou aqui para ajudar o São Paulo a conquistar o título.

No Olympique, Dória sequer entrou em campo. Preterido por Marcelo Bielsa, ficou relegado ao time B. Ainda assim, o zagueiro garante que não teria problemas em voltar.

– Eu trabalharia (com Bielsa novamente). Futebol dá muita volta. Não vou falar que não trabalharia. Penso sempre em jogar futebol, independentemente da situação – disse.

O zagueiro diz não se arrepender de ter se transferido cedo para a Europa, aos 18 anos. Diante do clima ruim que vivia no Botafogo, ele diz ter sido a melhor solução.

– Não me arrependo, não. Passamos por um momento difícil no Botafogo, com quase oito meses sem receber salário de imagem. Já estava desgastado. Procuro não misturar, mas já não tinha tanto foco no futebol. Então, queria sair para seguir minha carreira, não pensar nisso. Foi o momento.

Dória volta a dizer, porém, que está feliz no São Paulo. E que seguiria feliz em ser chamado de Matheus até o fim do Brasileiro.

– Só minha mãe me chamava assim. Por incrível que pareça, o Bielsa também me chamava de Matheus. Esse modo de chamar pelo primeiro nome ou não chamar pelo apelido, é importante. Mostra que o técnico está ligado em você – disse.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.