M1TO itinerante – Parte 2

Não foi só no Brasil que o capitão Rogério Ceni encantou a torcida são-paulina e mostrou a sua importância na história do clube. Fora do país, em torneios amistosos e competições oficiais, o M1TO também fez bonito e defendeu o Tricolor com eficiência. Com no mínimo três atuações, o camisa 01 detém bons números também em terras estrangeiras.

Em Santiago, por exemplo, no Estádio San Carlos de Apoquindo, o ídolo da torcida são-paulina nunca foi derrotado. Em quatro jogos, foram duas vitórias e dois empates.  Em 2013, quando ajudou a equipe brasileira na classificação para as quartas de final da Sul-Americana, o goleiro foi destaque até na imprensa internacional no triunfo tricolor por 4 a 3 sobre a Universidad Católica-CHI.

“Uma jornada brilhante de Rogério Ceni e Aloísio mata o sonho sul-americano da Universidad Católica”, destacou um dos maiores jornais do Chile, o ‘El Mercurio’. Assim como o periódico, o portal ‘Emol’ também se rendeu ao arqueiro são-paulino. “Aos 33 segundos de jogo o goleiro Rogério Ceni iniciou uma jornada que seria espetacular. Uma jornada incrível e acabou foi aplaudido pelos torcedores da Católica”, relembrando uma das brilhantes intervenções do jogador.

O ‘La Nacion’ também elogiou o camisa 01. “Ceni seguiu demonstrando que aos 40 anos segue sendo um goleiraço”, apontou o diário, que comparou o M1TO ao ex-goleiro chileno Rojas, que trabalhou no São Paulo de 1995 a 2003. Por fim, até um dos adversários do Tricolor no confronto, válido pelas oitavas de final, se rendeu ao capitão são-paulino. “Simplesmente, obrigado a todos pelo apoio. Hoje RC de outro planeta (sic)”, postou nas redes sociais o meio-campista chileno Milovan Mirosevic, que marcou um dos gols da partida na ocasião.

Mesmo longe de seus domínios, Rogério também conquistou títulos importantes e memoráveis na carreira, como o Mundial de Clubes da FIFA, em 2005, no estádio Internacional de Yokohama, em Yokohama (Japão), ao ver o São Paulo derrotar o Liverpool-ING por 1 a 0 com grandes intervenções do arqueiro.

Vale lembrar que a estreia do goleiro pelo clube foi em um duelo internacional. Há 21 anos, o Rogério escrevia o seu primeiro capítulo no Tricolor. No dia 25 de junho de 1993, no Troféu Santiago de Compostela, na Espanha, o capitão são-paulino estreou pelo São Paulo e iniciou a sua trajetória na equipe na goleada sobre o Tenerife-ESP (4 a 1).

E a experiência na competição internacional não poderia ter sido melhor para o camisa 01, que logo mostrou o seu cartão de visitas. Após eliminar o Tenerife na semifinal, o Tricolor encarou o River Plate-ARG, na decisão, e novamente o arqueiro brilhou. Após empate, em 2 a 2, no tempo regulamentar, a final foi para os pênaltis. O goleiro defendeu a cobrança de Corti e garantiu a vitória da equipe brasileira, por 4 a 3. Lá, naquela época, o M1TO já mostrava a sua identidade internacional. Que em 2014, pela Sul-Americana, o capitão consiga encerrar a sua carreira com chave de ouro…

 

 

Fonte: Site Oficial

Um comentário em “M1TO itinerante – Parte 2

  1. DÁ GOSTO VER UM JOGADOR AMAR TANTO O SEU CLUBE. NO SÃOPAULO ISSO É FREQUENTE, POIS MUITOS ÍDOLOS SE ETERNIZARAM COM A CAMISA TRICOLOR. COM CERTEZA ROGÉRIO É E SEMPRE SERÁ NOSSO MAIOR ÍDOLO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*