Kalil rebate ‘empáfia’ de Aidar e já pensa em fazer mudança no estatuto

A afirmação do candidato de Juvenal Juvêncio, Carlos Miguel Aidar, de que não há possibilidade de perder a eleição presidencial no ano que vem foi vista com “exagero na empáfia” por parte dos membros da oposição são-paulina.

– Ele diz que tem 80% (dos votos), e que temos 20%. Eu não estou preocupado. Tenho quatro ex-presidentes comigo – disse Kalil Rocha Abdalla, candidato da oposição tricolor, em entrevista ao LANCE!.

Na noite da última terça-feira, Kalil, Marco Aurélio Cunha e os ex-presidentes do clube José Douglas Dallora, José Eduardo Pimenta, Fernando Casal Del Rey e Paulo Amaral, além de outros aliados, se encontraram em uma pizzaria na capital paulista para debater os rumos da campanha eleitoral. Durante o encontro, fizeram um estudo do número de conselheiros vitalícios que já formalizaram o apoio para a realização da chapa. Na edição do LANCE! desta sexta a coluna De Prima publicou que são 74 vitalícios.

Apesar de ainda não ter definido como será formada a diretoria caso seja eleito, a organização do futebol deverá mesmo ficar com Marco Aurélio, superintendente do Tricolor de 2002 a 2011. O nome para cuidar da parte social ainda não foi confirmado a fim de evitar briga de egos.

Outro aspecto das afirmações de Aidar que causou descontentamento na oposição foi que o candidato já conta com a reeleição. De acordo com Kalil, sua intenção é ficar apenas um mandato e, inclusive, mudar o estatuto no que diz respeito à data em que ocorrem as eleições.

– Não vou brigar pelo outro, (mandato) não. Vou terminar meu mandato em dezembro (de 2016), vou terminar antes, porque quero colocar uma reforma estatutária para tirar a eleição do mês de abril. É péssima essa data, está em meio a campeonatos – afirmou.

Na última quinta, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, não chegou ao Morumbi junto de Juvenal Juvêncio para o jogo com a Ponte. O dirigente diz que não irá lançar mão de sua candidatura, o que poderia dividir votos da situação entre ele e Carlos Miguel Aidar.

Confira um bate-bola com Kalil Rocha Abdalla, em entrevista ao LANCE!:

‘Se quiserem antecipar, fazemos a eleição agora’

Como foi o encontro na última terça-feira? Seus aliados pediram uma atuação mais contundente diante do anúncio e das palavras do Carlos Miguel Aidar?
Trocamos ideias, tinham quase 40 pessoas lá. Apenas fizemos um levantamento da nossa situação, além de alinhar algumas coisas.

Já há nomes certos para formar a diretoria? O Marco Aurélio Cunha será mesmo o cara do futebol?
Não tenho nada até agora, mas vou formar a diretoria com os melhores elementos. Há diversas pessoas me procurando para fazer acordo, tanto de um lado como do outro. Sempre disse que eu seria um candidato de consenso, pedi o afastamento da diretoria do presidente Juvenal justamente para não criar entraves, problemas para ninguém.

Não pretende mesmo se reeleger caso vença a eleição em abril? Por que esse pensamento?
Para não querer esticar meu mandato para abril de 2017, vou diminuir o tempo de mandato. Não pretendo ganhar a reeleição, mas se eu ganhar o mandato será em uma data X. Isso tudo ainda vamos estudar. Acho péssimo que seja em abril.

A revolta do Leco, dizendo que irá se lançar candidato, fortalece muito a oposição? Acha que ele está muito chateado com o Juvenal?
Não sei. Isso é problema do Leco. Se os três candidatos quiserem, fazemos a eleição agora. Se quiserem antecipar a eleição, sou o primeiro a concordar. O Leco ficar chateado, isso é problema dele.

Fonte: Lance

3 comentários em “Kalil rebate ‘empáfia’ de Aidar e já pensa em fazer mudança no estatuto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.