Jadson começa em alta e pode superar próprios números

Dois jogos, duas boas apresentações, dois gols e uma assistência. Assim começa 2013 para Jadson. Com o bom início de ano pelo São Paulo, o camisa 10 já inicia sua caminhada a mais uma temporada de bons números, assim como foi em 2012, ano em que, ao contrário deste, demorou para começar.

Contratado junto ao Shakhtar Donetsk (UCR) no começo do ano passado, Jadson levou algum tempo a, de fato, estrear pelo São Paulo. Em sua terceira partida com a camisa são-paulina, contra o Corinthians, no Pacaembu, o meia daria o pontapé inicial ao seu pior momento no clube. Com o pênalti perdido diante do rival, Jadson começava a enfrentar, além das críticas da torcida, dificuldades para se firmar na equipe de Emerson Leão.

Após os problemas para se readaptar ao clima e ao futebol brasileiro, Jadson ainda foi barrado pelo técnico do Tricolor na época. Contudo, aos poucos, foi conquistando o seu espaço e, assim como o time, guinou a sua ascensão na temporada. Bastante elogiado pelo técnico Ney Franco, o camisa 10 quer dar sequência ao bom rendimento.

– Pude dar sequência ao meu futebol, e as coisas vêm acontecendo de forma muito satisfatória. Fiquei muito feliz com as palavras do Ney, esse reconhecimento é muito importante e fico feliz em poder ajudar dentro de campo. Estou muito bem adaptado e entrosado com o time e acho que em 2013 vamos ser ainda mais felizes – disse o atleta.

Readaptado e nas graças da torcida, o meia vive novos ares no Tricolor. Antes criticado, agora é um dos mais elogiados. Na temporada passada, terminou com dez gols e 17 assistência. Agora, bem fisicamente e entrosado no esquema adota por Ney, ele quer ainda mais.

– Procuro sempre ajudar com passes, gols e tento sempre fazer boas atuações dentro de campo. O ano passado foi muito bom, pude fazer minha parte, assim como os companheiros também fizeram. Tenho certeza de que essa temporada será ainda mais vitoriosa.

Mesmo com os percalços de 2012, Jadson ficou satisfeito com os números obtidos e projeta um 2013 ainda melhor para si e ao clube.

Apresentações ofuscam a ‘sombra’

Com a chegada do meia Paulo Henrique Ganso, contratado em setembro de 2012, Jadson ganhou um rival por uma vaga na armação da equipe são-paulina.

Na temporada passada, o camisa 8, por conta da recuperação de uma lesão na coxa esquerda, só atuou em cinco partidas, sendo apenas o clássico diante do Corinthians por 90 minutos. Em 2013, tanto Jadson quanto Ganso participaram desde o início da pré-temporada do Tricolor, realizada em Cotia.

Sem o meia-atacante Lucas, negociado com o Paris Saint-Germain (FRA), o técnico Ney Franco optou por escalar Jadson na ponta direita e Ganso centralizado, para armar as jogadas ofensivas diante do Mirassol. Contudo, após a saída do camisa 8, Jadson obteve melhor rendimento e até fez um gol na partida. No jogo seguinte, foi titular da equipe atuando centralizado, enquanto Ganso foi reserva. Após a partida, Ney Franco fez questão de pontuar os motivos que o fazem optar pelo camisa 10 tricolor.

– Esse ano, (Ganso) teve oportunidade de começar a pré-temporada junto com o grupo. Estamos dando toda essa estrutura para ele desenvolver o trabalho. Nossa expectativa é que em determinado momento ele entre no campo e faça boas partidas. Eu como treinador tenho que tomar algumas decisões – declarou o técnico Ney Franco.

Para o treinador, Ganso não está no patamar físico que Jadson e utiliza como critério as apresentações dos dois para definir quem é o titular. Com as boas atuações, Jadson ofuscou a “sombra” de Ganso.
Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*