Hudson traça o ‘mapa da mina’ do estádio Santa Cruz para o Tricolor

Talvez ninguém conheça tanto o estádio Santa Cruz quanto o volante Hudson. Reserva do São Paulo no duelo de hoje contra o Bragantino na Copa do Brasil, ele espera ajudar o time com dicas sobre o estádio de Ribeirão Preto.

– Ninguém me perguntou nada específico ainda, mas sei que reformaram o gramado e os vestiários desde que saí do Botafogo-SP. O campo já era grande, bom e deve ter ficado melhor ainda – contou o camisa 25 em entrevista ao LANCE!Net.

A reforma citada pelo volante aconteceu entre o fim do Campeonato Paulista em abril e o começo de junho, quando a seleção da França usou o Santa Cruz para treinos durante a Copa do Mundo.

Hudson disputou oito partidas no estádio do Botinha na temporada, todas pelo Paulistão. E o retrospecto do volante é positivo: sete vitórias e um empate. A igualdade, porém, resultou na eliminação botafoguense nos pênaltis para o Ituano.

– Sou muito grato ao Botafogo, que sempre me ajudou muito. Torcida, diretoria… Não fossem eles eu não estaria aqui no São Paulo. As lembranças são as melhores possíveis. E agora vamos em busca de vencer o Bragantino. É nosso dever após duas derrotas seguidas – projetou.
Hudson, ao lado de Denilson, deve ficar no banco de reservas como opção para os postos de Souza, Rodrigo Caio ou Maicon durante o confronto de hoje com o Bragantino.


‘Se sair um gol rápido, o time fica confiante’

Você acha que o time pode se atrapalhar de novo se encarar mais uma retranca hoje?
A gente vai ter dificuldades com esse estilo de jogo, que é o mesmo do Bragantino, mas estamos buscando melhorar. E sei que dessa vez vai ser diferente, vamos conseguir fazer os gols e encaixar melhor os passes. Se sair um gol rápido, então, nosso time já fica mais confiante. 

O Bragantino tem sido um time, além de defensivo, indisciplinado. Isso pode ajudar?
Jogar com um a menos no futebol de hoje é muito difícil, então se a gente conseguir tirar algum jogador deles por expulsão em uma jogada individual vai ajudar bastante.

O que mais preocupa além da postura defensiva?
O time deles é muito alto, tem jogadores fortes e bons nas bola aéreas. Eles têm um padrão de jogo de chutão e bola aérea, mas também têm a velocidade do Léo Jaime. É um time perigoso, deu trabalho no Paulistão e dará de novo.

Fonte: Lance

Um comentário em “Hudson traça o ‘mapa da mina’ do estádio Santa Cruz para o Tricolor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*