Ganso planeja mais gols em 2014 e recebe treino do ‘professor’ Ceni

Paulo Henrique Ganso fez cinco gols em 2013 e quer mais nesta temporada. Essa é a principal meta individual dele pelo São Paulo. Objetivo que não está só no discurso. Na prática, a postura do meia nos treinos é diferente.

– A meta esse ano é fazer mais gols, continuar jogando todas as partidas que puder e, se possível, mais do que no ano passado – disse o camisa 8, “treinado” por Rogério Ceni nessa quarta-feira.

Assim que a atividade tática terminou e quase todos foram descansar, Ganso teve treino extra com um professor diferente: Rogério Ceni. O capitão ficou na meta e uma brincadeira virou treinamento de finalizações, que durou cerca de 20 minutos, para o camisa 8. O goleiro dava as instruções:

– Só pode dar dois toques na bola e não pode deixar ela parar.

Então, Rogério chutava com força em direção ao Maestro, que executava os movimentos da forma que o goleiro havia dito. Na sequência, o Mito passou a dificultar:

– Pode dar dois toques nela, mas não vale deixar cair no chão.

Difícil? Não para Ganso, que também treinou finalizações de direita e de primeira. Ele errou a pontaria algumas vezes, mas também acertou muitas e comemorou a oportunidade do treino diferenciado.

– Ele (Rogério) estava tentando dificultar, jogando com efeito, para o alto e de bate-pronto. Sempre que pode ele nos ajuda a melhorar com a experiência que tem. Eu vou só aproveitando e treinando muito para melhorar sempre e fazer mais gols, que é o meu objetivo – declarou Ganso.

No ano passado era difícil ver o Maestro em ação depois de treinamentos. 2014 começou diferente e ele até marcou no jogo-treino de terça. Com 40 gols na carreira, Ganso tem um professor com mais de cem.

Ganso e Ceni: cobranças e elogios

‘É bom, mas tem de querer’
O São Paulo ainda negociava com Ganso quando o goleiro deu o recado: “Se vier com vontade e se dedicar, será bem recebido. Mas tem de querer”.

Capitão se rende
O primeiro grande elogio de Ceni a Ganso foi após o triunfo de 2 a 0 sobre o Atlético-MG, na 1 fase da Libertadores: “Regeu a orquestra! Jogou pra c…”.

Rachados?
Após ser demitido, Ney Franco insinuou que Rogério Ceni “fritava” Ganso nos bastidores. Dias depois, os dois voltaram lado a lado de excursão pelo exterior.

‘Nunca vi ninguém igual’
Ceni se rendeu a Ganso em outubro, após o triunfo por 3 a 2 sobre o Vitória, no Brasileiro. “Eu tenho uma grande convicção: ele será ídolo no São Paulo”.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*