Em via mais simples de título, São Paulo inicia semifinal em Medellín

A missão quase impossível de tirar o título brasileiro do Cruzeiro leva o São Paulo a – ainda de forma tímida – transferir sua prioridade à Copa Sul-americana, sabidamente a maior chance de ser campeão nesta reta final de ano. Em desvantagem na competição nacional, a equipe brasileira parte de novo em igualdade de condições no torneio mata-mata continental às 22 horas (de Brasília) desta quarta-feira, quando abre a semifinal contra o Atlético Nacional, em Medellín.

O time colombiano, que também disputa paralalemante outro campeonato,é um rival de campanha mais modesta na Sul-americana, tendo vencido em casa só em duas fases (na primeira e nas oitavas de final, em que conquistou a classificação apenas nos pênaltis, diante do César Vallejo). Antes de eliminar o desconhecido clube peruano, o Nacional deixou para trás o Vitória e os nada tradicionais General Díaz-PAR (para qual perdeu por 2 a 0, dentro do Estádio Atanasio Girardot) e La Guaira-VEN.

Além disso, vem com moral abalada pela derrota para o Santa Fé, no fim de semana, em confronto pelo quadrangular final do Colombiano. O São Paulo, ao contrário, apesar das chances reduzidas de superar o Cruzeiro na liderança, acaba de derrotar o rival Palmeiras, na sétima rodada consecutiva de invencibilidade no Brasileiro.

Djalma Vassão/Gazeta Press

A vitória sobre o rival Palmeiras, domingo, no Brasileirão, serve de ânimo para os comandados de Muricy

“Esse jogo era importante para ter moral, para continuar na briga (pelo título também). Futebol é confiança, você vai mais contente. Quando perde, sente um pouco mais”, disse o técnico Muricy Ramalho, relutante em desistir da competição local, embora o principal concorrente tenha quatro pontos a mais e um jogo a menos disputado. “A gente sempre falou que ia ser muito difícil. O Cruzeiro é o grande favorito, só que nós temos que brigar. Se a gente desanimar, não é legal”.

Animado nas duas frentes, o elenco são-paulino viajou quase completo, na madrugada de terça-feira. As baixas seguem por conta do meia Maicon (em recuperação de lesão no joelho) e dos zagueiros Lucão e Rodrigo Caio, ambos com retorno previsto apenas para 2015. Por outro lado, a artilharia foi reforçada na Colômbia, com Alexandre Pato (recuperado de lesão muscular) e Luis Fabiano (que não atuou nos últimos três jogos da Sul-americana devido a gancho da Conmebol).

“É bom, importante. Quem ganha com isso é o grupo. São dois jogadores de qualidade, e é sempre bom ter o elenco fortalecido. Caso um ou outro esteja mais desgastado, temos jogadores com capacidade para resolver a partida, seja no início, seja no decorrer. Quem ganha é o São Paulo”, disse o sempre titular Alan Kardec, agora com maior concorrência na posição.

Rubens Chiri/Divulgação

Em 2008 e 2013, contra o Atlético Nacional, Rogério Ceni deixou Medellín com dois empates: 1 a 1 e 0 a 0

Um bom resultado nesta quarta-feira encaminharia a classificação pelo fato de o São Paulo decidir a vaga no Morumbi, no dia 26. Quem passar terá pela frente o vencedor do confronto entre os argentinos Boca Juniors e River Plate.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO NACIONAL-COL X SÃO PAULO

Local: Estádio Atanasio Girardot, em Medellín (Colômbia)
Data: 19 de novembro de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Daniel Fedorczuk (URU)
Assistentes:Carlos Pastorino (URU) e Gabriel Popovits (URU)

ATLÉTICO NACIONAL: Armani; Nájera, Henríquez, Murillo e Díaz; Bernal, Arias, Cardona e Cárdenas (Copete); Guisao e Ruiz
Técnico: Juan Carlos Osorio

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Hudson, Rafael Toloi, Edson Silva e Michel Bastos; Souza, Denilson, Ganso e Kaká; Alan Kardec e Luis Fabiano
Técnico: Muricy Ramalho

 

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*