Em cinco meses, planejamento traçado para o ataque do SP cai por terra

Em cinco meses, o planejamento do São Paulo para o ataque foi por água abaixo. Rogério Ceni contava com quatro peças de velocidade que se revezariam ao longo da temporada: Wellington Nem, David Neres, Neilton e Luiz Araújo. Hoje, duas delas já nem estão mais no clube, uma acaba de ser vendida e a quarta sofre tanto com lesões que não consegue engatar uma sequência de partidas.

David Neres nem sequer participou da pré-temporada, realizada nos Estados Unidos. Convocado para a seleção brasileira sub-20, o jogador chamou a atenção do Ajax, da Holanda, e acabou negociado por R$ 50 milhões. Na mesma época, o Lille, da França, apresentou uma proposta de R$ 20 milhões por Luiz Araújo. Mas Rogério Ceni agiu nos bastidores e conseguiu garantir a permanência do camisa 31.

David Neres vem se destacando pelo Ajax, da Holanda (Foto: Divulgação/Ajax)David Neres vem se destacando pelo Ajax, da Holanda (Foto: Divulgação/Ajax)

David Neres vem se destacando pelo Ajax, da Holanda (Foto: Divulgação/Ajax)

Luiz Araújo ganhou aumento salarial, renovou seu contrato até dezembro de 2021 e virou peça importantíssima na equipe titular. Porém, os franceses voltaram à carga nas últimas semanas e, na sexta-feira, acertaram a contratação do atleta, pelo qual desembolsarão R$ 38,3 milhões. Desse valor, R$ 30,6 milhões entrarão nos cofres do clube do Morumbi – o restante ficará com o Mirassol, equipe que revelou o garoto. A tendência é que o camisa 31 faça sua despedida do São Paulo na partida deste domingo, contra a Ponte Preta.

Luiz Araújo deverá se despedir do São Paulo na partida deste domingo, contra a Ponte (Foto: Marcos Ribolli)Luiz Araújo deverá se despedir do São Paulo na partida deste domingo, contra a Ponte (Foto: Marcos Ribolli)

Luiz Araújo deverá se despedir do São Paulo na partida deste domingo, contra a Ponte (Foto: Marcos Ribolli)

Já Neilton pode ser tratado como um tremendo fiasco. Destaque com a camisa do Botafogo no ano passado, ele acabou envolvido em uma troca com o Cruzeiro, que ficou com o volante Hudson – hoje titular e peça importantíssima no esquema do técnico Mano Menezes. No entanto, o ex-santista não se adaptou no Tricolor. Tinha dificuldades para fazer o que Ceni pedia e, tecnicamente, também deixou a desejar. Acabou rescindindo o contrato após dez partidas, nenhum gol marcado pelo São Paulo e apenas uma assistência dada. Fez as malas e foi parar no Vitória.

Neilton seguiu para o Vitória após deixar o São Paulo (Foto: Maurícia da Matta / EC Vitória / Divulgação)Neilton seguiu para o Vitória após deixar o São Paulo (Foto: Maurícia da Matta / EC Vitória / Divulgação)

Neilton seguiu para o Vitória após deixar o São Paulo (Foto: Maurícia da Matta / EC Vitória / Divulgação)

Por sua vez, Wellington Nem, uma das grandes apostas da diretoria, vem sendo, por enquanto, uma decepção. As lesões perseguem o rápido atacante. Primeiro reforço a ser anunciado para 2017 – foi contratado ainda em 2016 -, ele começou a temporada como titular e, já na estreia do Campeonato Paulista, contra o Audax, sofreu uma lesão muscular na coxa que o tirou de combate durante um mês.

Quando voltou, havia perdido espaço no time titular para Luiz Araújo. Em um clássico contra o Corinthians, disputado no dia 16 de abril, pelo Campeonto Paulista, ganhou a oportunidade de começar jogando, mas se contundiu mais uma vez. Sofreu uma lesão no joelho direito e precisou realizar uma artroscopia. Já recuperado, tem realizado treinos físicos e atividades com bola à parte, para recuperar sua melhor forma. A tendência é que volte no jogo da próxima quinta-feira, contra o Vitória, no Morumbi, ou no clássico do dia 11, diante do Corinthians, em Itaquera.

Wellington Nem aprimora a forma física após se recuperar de lesão (Foto: Erico Leonan / site oficial do SPFC)Wellington Nem aprimora a forma física após se recuperar de lesão (Foto: Erico Leonan / site oficial do SPFC)

Wellington Nem aprimora a forma física após se recuperar de lesão (Foto: Erico Leonan / site oficial do SPFC)

Uma quinta alternativa também se encontra fora de ação por lesão: trata-se de Morato, que veio do Ituano após se destacar na primeira fase do Campeonato Paulista. Ele disputou a partida contra o Cruzeiro, pela Copa do Brasil, deixou ótima impressão, mas, durante um jogo-treino diante do Oeste, no dia 6 de maio, torceu o joelho direito. Operado, ficará sete meses em recuperação e só voltará aos gramados em 2018. Como seu contrato de empréstimo termina em dezembro, será preciso um novo acordo entre os clubes para que ele permaneça.

Sobrou a Rogério Ceni apenas Marcinho, reforço contratado junto ao São Bernardo, que se destacou nas últimas duas partidas, quando jogou improvisado como ala. Léo Natel, cria da base de Cotia, ainda é uma aposta. Chávez, que seria uma alternativa, recupera-se de contratura muscular na coxa direita. Mas, de qualquer forma, o atacante também está se despedindo do Tricolor, pois seu empréstimo termina no fim deste mês e o São Paulo não vai contratá-lo em definitivo.

E, como notícia ruim nunca vem de uma vez só, não é apenas nas pontas do ataque que Ceni deverá ter problemas. Lucas Pratto, o camisa 9 dos sonhos do treinador e da torcida tricolor, está na mira da concorrência. Segundo o representante do atleta, há uma proposta do Veracruz, do México, pelo centroavante argentino.

Fonte: Globo Esporte

4 comentários em “Em cinco meses, planejamento traçado para o ataque do SP cai por terra

  1. Boa tarde tricolores!!
    Como disse em um post anterior a negociação de alguns jogadores era inevitável e os jovens da base são o alvo predileto, sabendo disso tanto a diretoria quanto o comissão técnica já deveria ter em vista as possíveis peças de reposição se não há este estudo desculpem-me mas não há planejamento ou foi muito mal feito, quando o Osório teve seu elenco negociado ele foi enganado já o RC não, ele conhece o clube, sabe a dificuldade financeira e sabe que os meninos seriam negociados, o Pintado já deveria estar com vários jogadores em vista, mas ao que parece, não é isso que acontece, e agora ouço falar em Petros, um jogador simples, que não acrescentará nada ao elenco ē lamentável, o Neílton, o Nem, são decepção, resta-nos o Thomaz e o Lucas Fernandes e torcer para o Cueva entrar em campo e pedir aos céus para o Marcinho dar certo e ninguém se machucar, e no meu ponto de vista não trazer ninguém que esteja no exterior, eles chegam aqui dizem que tem que se adaptar demoram e não rendem sendo assim é melhor tentar alguém em algum clube daqui mesmo vai lá e faz oferta e pronto tem que ser alguém que chegue pronto para jogar se é para pagar que seja ao menos para tentar resolver.

  2. Planejamento de diretoria incapaz que só pensou neles, cada um em sua carteirinha e posição dentro do clube, um monte de gente frustado em suas atividades e que queriam ser alguma coisa na vida , foram ser no São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*