‘Ele esperou. Eu também espero’, diz Renan Ribeiro, substituto de Ceni

Quando Rogério Ceni chegou ao São Paulo, em 7 de setembro de 1990, Renan Ribeiro tinha apenas cinco meses de vida. A diferença de idade, porém, não foi um obstáculo para que os dois goleiros se cruzassem no futuro, como companheiros de time. Passados 25 anos, Renan irá substituir Rogério pela segunda vez na carreira. O fato ocorrerá neste domingo, diante do Avaí, no Morumbi.

Às vésperas de defender o São Paulo pela segunda vez, Renan revela, em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, uma conversa com Rogério depois de confirmada a lesão que tirou o capitão são-paulino da partida válida pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. “Nos falamos. Ele perguntou como eu estava me sentindo”, disse o substituto.

Renan garantiu que está preparado para o desafio de substituir o camisa 1. “A expectativa é a melhor possível para esse jogo. Eu já vinha me preparando muito bem desde que cheguei ao clube. Eu me preparo muito para estar bem em momentos como esse”, afirmou o goleiro, que desembarcou no São Paulo há exatos dois anos, após ser revelado pelo Atlético-MG.

O primeiro jogo pelo time paulista ocorreu em abril deste ano, diante da Portuguesa, no Morumbi. Na ocasião, Rogério Ceni foi poupado por Milton Cruz. Denis, reserva imediato, havia passado por uma operação no ombro direito, semanas antes. Com Renan na equipe titular, o São Paulo venceu por 3 a 0.

Àquela altura, o goleiro já vivia a expectativa de substituir Rogério de maneira integral, a partir de agosto, depois da despedida do ídolo. Nem a prorrogação do contrato do camisa 1, no começo do mês, tirou a tranquilidade do reserva, que dá importância à paciência com a situação. “Do mesmo jeito que ele esperou sua vez, eu também espero a minha”, frisou.

À espera da chance, Renan tem como maior o exemplo a trajetória do próprio Rogério no São Paulo. O camisa 1 esperou três anos para fazer sua estreia. Já a titularidade só veio em 1997, depois de sete anos no clube — isso ocorreu quando o arqueiro tinha 24 anos. Renan, por sua vez, completou 25 anos em março passado.

Durante os dois anos de convivência diária no CT da Barra Funda, o ídolo tornou-se peça fundamental para a transição no gol do São Paulo. “Rogério é um líder nato, tanto dentro de campo, quanto nos treinamentos. A convivência com ele é ótima e tento absorver a experiência que ele tem”, disse.

No ano que vem, após a despedida de Rogério, Renan deve disputar a vaga de titular com Denis. Para o processo ser tranquilo, o goleiro ressalta a importância de uma boa campanha no Brasileirão. “Para vivermos uma boa temporada no próximo ano, temos de sair dessa temporada mais fortes ainda, com o título que vamos buscar até o final”, afirmou.

O técnico Juan Carlos Osorio, segundo Renan, terá um papel fundamental na campanha do São Paulo. “É um treinador que, além de saber muito sobre futebol, também se preocupa bastante com o lado humano do atleta. Isso cria um vínculo bacana entre treinador e jogador”, finalizou.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.