Diogo admite erro ao entrar na Justiça e pede chance ao São Paulo

Há três anos, Diogo era um promissor lateral-esquerdo do São Paulo. Aos 19 anos, disputava o Mundial Sub-20 com a seleção brasileira e vivia a expectativa de se tornar titular do time. Chance que, segundo Ricardo Gomes, seu técnico na época, viria no começo de 2010.

Mas, a exemplo de Oscar e Lucas Piazon, durante as férias, no fim de 2009, Diogo resolveu mover uma ação trabalhista contra o São Paulo e se recusou a voltar a treinar. As seguintes derrotas na Justiça acabaram o convencendo a retornar, em março de 2010, e prorrogar seu contrato por mais cinco anos. Hoje, Oscar e Piazon, respaldados por empresários poderosos e influentes, além do ótimo futebol, estão no Chelsea, atual campeão europeu. E Diogo, há sete meses, treina praticamente esquecido no CT de Cotia.

Diogo, lateral-esquerdo do São Paulo (Foto: Alexandre Lozetti / Globoesporte.com)Diogo treina diariamente em Cotia sob orientação de Vizolli (Foto: Alexandre Lozetti / Globoesporte.com)

Todos os dias, o lateral acorda às seis da manhã em sua casa, na região do Morumbi, e se dirige ao gigantesco e moderno centro de treinamento para treinar com o que muita gente chama de “time dos largados”, mas Diogo considera “profissional B”. São jogadores que não têm mais idade para atuar nas categorias de base e não são aproveitados na equipe principal, que treina na Barra Funda. Em entrevista ao GLOBOESPORTE.COM, o jogador admitiu que errou ao levar seu descontentamento à Justiça, disse que ainda sonha atuar no São Paulo e tem qualidade para estar em qualquer clube.

– Eu fui mal assessorado, tomei muitas decisões que não deveria ter tomado. Não sei se há birra do São Paulo por isso, mas de minha parte não há. Aqui é minha casa, encaro como uma briga de pai e filho que se resolveu. Eu não estava maduro, não tinha força para entrar numa briga com o São Paulo, mas acho que o clube também errou ao não me olhar com mais atenção naquela época. Eu já me desculpei e, por mim, está tudo resolvido.

Nem tudo está resolvido. Diogo tem contrato até abril de 2015, mas não se contenta com a segurança de mais três anos de salários assegurados, além do conforto de Cotia. Ele garante que só precisa de uma chance para mostrar seu futebol. No “profissional B”, não há competições para disputar, mas desde a chegada de René Simões para comandar as categorias de base o grupo treina sob a orientação do técnico Vizolli e conta com outras antigas promessas, como os meias Flávio, Sergio Mota e Léo Gonçalves, que também passaram por outros clubes, emprestados, mas nunca se firmaram.

As metas de quem está nessa categoria são agradar ao técnico do time principal ou receber uma proposta. Diogo diz que apesar da fama de Ney Franco de gostar de trabalhar com os garotos, até agora não teve uma conversa com ele nos poucos treinos que fez na Barra Funda, mas não acredita em represália do clube em razão da ação judicial. Na semana passada, ao ver Cortez suspenso para o jogo contra o Corinthians, ficou chateado.

– Vi em reportagens que não consideram o Henrique Miranda preparado ainda, mas eu estou aqui. Não sou experiente, mas tenho bagagem, poderia entrar em campo e ajudar o time. Improvisar um jogador quando estou aqui, claro que fico um pouco chateado, mas estou treinando com tranquilidade e humildade.

Resta, então, a hipótese de uma proposta. E Diogo usa uma expressão, no mínimo, curiosa para explicar sua atual relação com empresários:

– É como dizem os caras quando não namoram: solteiro sim, sozinho nunca!

diogo treino são paulo (Foto: Luiz Pires/VIPCOMM)Diogo seria aproveitado pelo técnico Ricardo
Gomes no Paulistão-10 (Foto: Luiz Pires/VIPCOMM)

O jogador rompeu com seus antigos representantes quando retornou do Anderlecht e não conseguiu um novo clube. Ele havia se transferido para a Bélgica às vésperas da semifinal do Campeonato Goiano, o que irritou a diretoria do Goiás, onde estava atuando também por empréstimo. Na Europa, ele lamenta ter tido lesões, como uma pubalgia, além de disputar posição com o capitão e maior veterano do grupo.

Houve chances de defender clubes da Série B, mas Diogo não quis. Disse que já viu amigos saírem, seduzidos com a possibilidade de serem titulares, e voltarem em situação ainda pior. O lema do lateral-esquerdo é não errar mais. Por isso, ele mantém em sigilo o nome dos empresários que o estão ajudando, ainda sem vínculo, a encontrar um destino. Diogo tem receio até mesmo de assinar um contrato com agentes que não sejam competentes.

– Na situação em que estou, não posso assinar logo de cara, mas sozinho também não vou arrumar nada. Mas tem de ser alguém que me ajude a dar passos para frente porque já dei muitos passos para trás. Errei muito na minha vida, mas errei aos 20 anos. Tenho mais 15 de futebol pela frente e não quero errar mais.

Fonte: Globo Esporte

2 comentários em “Diogo admite erro ao entrar na Justiça e pede chance ao São Paulo

  1. Entre improvisar um jogador ruim – Paulo Miranda – na lateral esquerda ou dar uma chance ao Diogo, eu ficaria com a segunda alternativa. Porém, ao que tudo indica, o Paulo Miranda tem um bom empresário…e o Diogo não tem!

    • Pensei a mesma coisa. Se bem que é um tanto arriscado testar um jogador contra Corinthians, pois pode sair de cara queimado com a torcida. Mas a improvisação do Paulo Miranda na lateral esquerda foi muito esquisita….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*