Cuca vê zagueiros do São Paulo como titulares e avalia dupla jogo a jogo

Por característica, Cuca é um personagem sempre inquieto, buscando mudanças e aperfeiçoamento, em qualquer setor, mesmo que não seja uma posição problemática no time. É o que está acontecendo em relação às mexidas na zaga do São Paulo, talvez a posição mais regular do elenco nesta temporada. Peças e posicionamentos já foram trocados, e essas alterações não devem parar por aí, muito devido à qualidade dos quatro zagueiros.

Desde que começou 2019, não havia dúvidas de que Bruno Alves era um dos pilares da equipe, até mesmo nos momentos ruins da temporada o zagueiro manteve esse status e só cresceu a partir daí. Nos últimos dois jogos, porém, ele foi preterido por opção de Cuca. Aquele que era o melhor defensor do elenco, passou a ser banco de Arboleda e Anderson Martins.

No aspecto defensivo as mudanças são praticamente imperceptíveis, algo que o próprio comandante sabe e exalta em seus homens da zaga, inclusive o jovem Walce, que chegou a jogar bem quando foi acionado. Contudo a ideia do treinador é aperfeiçoar a saída de bola, motivação que o fez mandar Arboleda para o lado esquerdo e trazer Bruno Alves para o lado direito. Segundo Cuca, tudo isso é estudado com números e de acordo com o adversário.

– Eu não tenho uma dupla de zaga titular, eu tenho zagueiros titulares. O Walce era titular, hoje não está mais jogando, o Bruno saiu, o Anderson entrou, melhorou um pouco em algumas coisas que a gente tem que melhorar, que é na saída de bola. Ele é um jogador seguro, tanto quanto o Arboleda, tanto quanto o Bruno, e o Walce – explicou Cuca em entrevista coletiva após o empate com o Tricolor gaúcho no último sábado.

– É uma questão de números, eu avalio o scout do jogo no dia seguinte, com essa dupla, com aquela dupla, eu mostro para eles, e coloco aquela que para aquele jogo é a melhor. Não significa que é uma dupla de zaga titular ou não. Eu confio em todos eles, contra o Vasco e contra o Grêmio foi essa dupla (Arboleda e Anderson Martins) que jogou – completou o técnico.

É provável que Cuca esteja fazendo referência aos números de passes certos de seus zagueiros. Nos últimos dois jogos Arboleda e Anderson Martins, juntos, acertaram mais de cem passes. Estatística que pode ser interpretada como excesso de trocas para o lado, mas também como uma alternativa para buscar o jogo a partir do campo de defesa. E a dupla titular, no momento, vem mostrando um melhor desempenho nesse aspecto, de acordo com o scout.

São Paulo 0 x 0 Grêmio
Arboleda – 52 passes certos
Anderson Martins – 53 passes certos

Vasco 2 x 0 São Paulo
Arboleda – 54 passes certos
Anderson Martins – 57 passes certos

São Paulo 1 x 0 Ceará
Bruno Alves – 37 passes certos
Anderson Martins – 39 passes certos

São Paulo 3 x 2 Santos
Bruno Alves – 19 passes certos
Arboleda – 20 passes certos

Os números acima mostram dados do Footstats colhidos nos jogos mais recentes do Tricolor, exceto aquele contra o Athletico-PR, que não foi registrado. Em média, o melhor desempenho dos três é de Anderson, que acerta 98% dos passes e tem índice de 36,4 por partida no Brasileirão-2019. Bruno e Arboleda apresentam números piores na comparação.

Anderson Martins – 36,4 passes certos por jogo – 98% de eficiência
Bruno Alves – 27 passes certos por jogo – 95,5% de eficiência
Arboleda – 26,6 passes certos por jogo – 94% de eficiência

Embora os dois últimos duelos com a nova dupla titular não tenham trazido vitórias, e o número de passes não tenha feito diferença, a aposta de Cuca parece ser a longo prazo e tem a ver com o aperfeiçoamento de um time que sofre demais com desfalques e que tem potencial para evoluir com a chegada de Daniel Alves. Lapidar esse grupo que tem em mãos parece ser uma busca incansável do treinador tricolor e essa mudança na zaga tem a ver com isso.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.