City e Inter partem para o ataque aos empresários de Militão

Sem conseguir controlar a situação, o São Paulo vê Militão cada vez mais distante do Morumbi. Nas últimas semanas, o Manchester City e a Inter de Milão entraram em contato com os representantes do jogador para buscar mais informações e abrir conversas. Segundo apurou o UOL Esporte, os ingleses estão dispostos a pagar 10 milhões de euros (R$ 43,7 milhões) de luvas para fechar o negócio. O Porto, de Portugal, também já manifestou seu interesse.

Ao Tricolor, oficialmente, nada foi apresentado. Aliás, a diretoria são-paulina mantém sua esperança no profissionalismo dos estrangeiros. A negociação fechada diretamente com o empresário quando o atleta ainda está vinculado a outro clube pode ser tratada como aliciamento. Neste caso, os brasileiros teriam o direito de acionar a Fifa, como aconteceu antes da transferência de Augusto Galvan para o Real Madrid, em 2017.

Como o jovem, de 20 anos, tem contrato com o Tricolor até o dia 11 de janeiro de 2019, a partir do segundo semestre ele estará livre para assinar um pré-contrato com outro clube sem que o São Paulo receba uma compensação financeira. As tratativas estão sendo conduzidas por Ulisses Jorge, empresário principal de Militão, e Giuliano Bertolucci, que representou estrangeiros em outras oportunidades, como na saída de Luiz Araújo para o Lille, da França.

Ciente de que não deve conseguir contar com o jogador no futuro, o São Paulo fez proposta para tentar ajudar na transferência e não sair de mãos vazias. O Tricolor prometeu estipular um teto para liberá-lo condizente ao mercado, além oferecer aumento salarial para o defensor e do repasse para o estafe do atleta. No entanto, os representantes ainda não deram uma resposta.

Militão tem o salário mais baixo entre os titulares do São Paulo. O jogador recebe R$ 12 mil mensais, enquanto outros atletas do mesmo time ganham 40 vezes mais. No Tricolor há quem suspeite até que o jogador receba uma ajuda de custo de seu estafe. Assim, ele teria mais tranquilidade para não assinar a renovação de seu vínculo com o Tricolor e, consequentemente, aumentaria a fatia das luvas em uma futura transferência.

Fonte: Uol

13 comentários em “City e Inter partem para o ataque aos empresários de Militão

  1. E vou dizer mais:
    Vai acontecer de perderem também o Brenner que, se não for bobo, vai procurar outro time para seguir carreira porque no S.Paulo está muito difícil para a garotada.
    É só veteranos “perebas”; e a garotada, quando entra, tem que resolver todos os problemas do jogo em minutos, caso contrário…são esquecidos. O Shailon, que nem foi dos melhores na base e não estava sendo aproveitado, deu sorte e resolveu contra o Bahia; caso contrário, tivesse entrado e o time saísse perdedor, nunca mais apareceria nem no banco. Então, como o Militão foi bem e bobearam com ele, não nos cabe ficar criticando quando todos, em seu lugar, faríamos o mesmo!!!

  2. O SPFC promoveu o cara para o profissional pagando salário de 12.000,00!!! Pelo amor de Deus!!! Deveriam ter prorrogado o contrato por 5 anos pagando 50.000 na época e ele aceitaria correndo…agora é tarde.

  3. Não enxergo como culpa da diretoria, estão tentando há mto tempo uma renovação, mas um contrato precisa de 2 assinaturas, se o menino não renova não dá para forçá-lo, paciência.

    Essa lei pelé foi ótima para os jogadores, e era essa a proposta mesmo, beneficiar os jogadores, mas tenho a impressão que isso está matando o futebol brasileiro. Quem não se lembra quando tínhamos dificuldade de brincar de convocar a seleção? O Brasil tinha 2, 3 seleções fácil, vários times brasileiros eram representados, atualmente não dá pra convocar nem 1 seleção. Hoje com a facilidade da lei pelé a molecada vai pra fora do Brasil mto nova, crua ainda, bate em um esquadrão na europa, vai jogar como? Fica ali comendo banco, sendo emprestado de lá pra cá, a maioria treina e sequer é relacionada, e assim vão desaparecendo aqueles que seriam nossos astros, mas foram embora antes de amadurecerem e não vão virar nada.

    Não sei se o futebol brasileiro dura mais 20 anos, ou talvez até menos, cada dia os times estão mais ridículos, não temos ídolos, não temos craques e ainda temos que pagar fortunas em salários para esse caneleiros não irem embora pra europa. Belíssima contribuição do rei pelé pro futebol brasileiro.

  4. Está torcida é muito burra, estão culpando a diretoria, Pinotti, Raí tentaram, quem não quiz renovar foi o empresário dele …. É muito fácil culpar, do que perceber os fatos, o culpado de tudo isto é o empresário dele.

  5. Entendo que a diretoria não pode sair oferecendo contrato por 5 anos sem saber se o jogador irá vingar ou não. Lembram-se do Gabriel, filho do Wladimir. Um nabo de 5 anos. Cabe também ao jogador um pouco de ética para quem o adotou desde os 13 anos. Sem duvida foi aliciado pelos empresários e não acho certo condenar só a diretoria. Acho que o São Paulo pode melar este negócio. Houve um aliciamento por parte de terceiros.

  6. O garoto tá mais que certo! Tem que garantir o futuro da sua família. Tiveram a oportunidade e não souberam aproveitar, agora é tchau tchau manés. No futebol de hj não se admite mais amadores dirigindo grandes clubes senão dá nisso aí! Parabéns Leco! Vc é expert em futebol! O São Paulo só foi um grande time quando contratava jogadores a altura de sua grandeza. Hj qualquer merdinha de um país Sul-americano já é contatado e despontado como o craque do nosso time. É o fim!

  7. Simples, se não aceitar a ultima oferta (dizem ser uma boa oferta) do Tricolor deixem ele treinando até o final do contrato em cotia e o empresário dele que o custeie…

    Agora que o Tricolor marcou toca feia nessa renovação marcou…

    Que essa sirva de lição para o futuro, subir jogador da base só se tiver contrato renovado e pronto….

      • O cara tem a opção de levar R$ 40 milhões de luvas ou renovar e ganhar 15% disso em uma negociação se renovar. Quem aqui escolheria a segunda opção?
        Essa história de gratidão não faz sentido. Ele está ali por merecimento. Quantos colegas dele foram dispensados? O clube estipulou salário “baixo” é curto porque não quis se comprometer, porque quis manter a possibilidade de dar um pé na bunda dele a baixo custo, caso não vingasse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*