Carência ofensiva do São Paulo abre espaço para nova chance a Cañete

Enquanto a torcida reclama, Marcelo Cañete comemora a dificuldade que o São Paulo vem enfrentando para encontrar reforços. Depois de decepcionar no empréstimo à Portuguesa, o meio-campista argentino deve ganhar uma nova oportunidade de se firmar no Tricolor. Agora, como atacante.

Nos primeiros treinos, o jogador, que chegou a ser comparado à Riquelme, quando começou no Boca Juniors, foi utilizado no setor ofensivo da equipe reserva. Ao lado de Jadson, ele foi um dos destaques do time que atuou no segundo tempo do jogo-treino diante do Marília, terça-feira, no CT de Cotia.

O argentino dificilmente terá chances em sua posição de origem, o meio de campo. Entre os titulares, Muricy vem optando por escalar Maicon e Ganso. Já entre os reservas, a função está sendo ocupada por Jadson, outro que ainda pode voltar ao time principal a qualquer momento.

A função, aliás, não é novidade para Cañete. No ano passado, ele chegou a ser escalado mais à frente durante a passagem do técnico Ney Franco. No entanto, com os maus resultados da equipe, acabou deixado de lado e foi liberado para acertar com a Lusa, onde também não brilhou.

Muricy e a direção são-paulina nunca esconderam o desejo de buscar atacantes no mercado. A falta de opções que se encaixem no perfil financeiro do clube, contudo, atrapalhou. Por isso, o clube decidiu vetar a saída de jogadores da posição, como Osvaldo, Silvinho e o próprio Cañete.

Contratado em 2011 como solução para a armação, Cañete sofreu com seguidas lesões e nunca conseguiu corresponder à expectativa da diretoria. O contrato dele com o Tricolor vai até 31 de dezembro de 2015.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*