Camisa vermelha provoca polêmica aprovada por diretoria do SP

A polêmica em torno da camisa do São Paulo satisfez os “marqueteiros” do clube. O UOL Esporte apurou que, apesar das inúmeras críticas feitas por torcedores em redes sociais, o importante para os diretores foi que o 1º lote do artigo foi rapidamente comercializado. A Penalty, fornecedor de material esportivo são-paulino, divulgou, na última segunda-feira, que 25 mil exemplares foram vendidos.

Com a sugestão de preço dada pela empresa de R$ 209,90 aceita pelas lojas, a movimentação chega a quase R$ 5,3 milhões. Isso, claro, sem contar os gastos que a Penalty teve com a produção e distribuição das peças e também sem considerar a divisão entre fornecedor e time.

Internamente, os diretores afirmam que “as críticas ficaram apenas na manchete” enquanto que os elogios são revertidos em receita.

A produção da camisa foi feita a quatro mãos no São Paulo. O vice-presidente de comunicação e marketing, Julio Casares, e o diretor de marketing, Rui Branquinho, coordenaram o processo que começou no meio de janeiro, quando a Penalty fechou o acordo. Assim que chegaram a um modelo ideal, apresentaram no Conselho, onde foram aprovados sem nenhuma dificuldade.

Inicialmente, o único pedido dos são-paulinos foi ter uma camisa inteira vermelha. Até por isso o escudo e os patrocinadores praticamente sumiram. Só as bordas dos números tinham outra cor. A mudança, no entanto, só foi possível porque a novidade seria usada em apenas um jogo.

Dificilmente os patrocinadores aceitariam isso caso o modelo fosse usado em mais de uma vez, relatam os diretores. O Conselho Deliberativo do São Paulo também não deixaria que o estatuto fosse colocado de lado e o exemplar se transformasse em 3ª camisa.

A Penalty, aliás, luta bastante contra o rótulo de 3ª camisa. A fornecedora quer evitar qualquer tipo de atrito com conselheiros mais resistentes à mudança e tenta deixar claro que o modelo não pode ser comparado ao verde-limão do Palmeiras e ao roxo do Corinthians, por exemplo.

A decisão de usar uma camisa vermelha foi tomada por Juvenal Juvêncio e seu departamento de marketing quando o projeto de deixar o Morumbi com cor única foi aprovado ainda no ano passado.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*