Cabeça boa: Centurión apresenta arma decisiva para o São Paulo

Ricky Centurión foi contratado pelo São Paulo para ser o homem de velocidade pelos lados tão pedido por Muricy Ramalho. Mas até o ex-técnico mostrava-se incomodado com o excesso de individualismo do gringo. Assim como Milton Cruz, Muricy queria que o argentino usasse mais a cabeça.

O novo xodó da torcida ouviu os pedidos da comissão técnica. Só parece não ter entendido o significado. Afinal, o camisa 20 ainda peca por arrancadas desenfreadas, atrasos em treinos e vida noturna em Buenos Aires, mas usou a cabeça para deixar o São Paulo vivíssimo na Copa Libertadores da América.

A testa de Centurión está iluminada. Foi com ela que o meia-atacante de 1,75m decidiu o Campeonato Argentino a favor do Racing (ARG) no dia 14 de dezembro do ano passado, data lembrada por ele com alegria na última terça-feira em suas contas nas redes sociais. Quis o destino que, exatos dois meses depois, ele estreasse pelo são Paulo em Bragança Paulista e repetisse o roteiro: aparecer livre na pequena área somente para empurrar a bola no gol do adversário. Na última quarta-feira, dia 15 desta vez, Centurión subiu no lado direito da área e definiu o 2 a 1 sobre o Danubio (URU).

E o poder de decisão do argentino reaparece justamente no momento em que o São Paulo mais precisa. Domingo tem a semifinal do Campeonato Paulista contra o Santos na Vila Belmiro. Na quarta-feira, dia 22, a última rodada do Grupo 2 da Libertadores contra o Corinthians.

Contra o rival, Milton Cruz não terá Pato e precisará de um combustível para que o Tricolor tenha mais “huevos“, como pregam os argentinos. Aí quem sabe o Morumbi não será palco de mais cabeçadas e shows de cumbia de Centurión.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*