Autuori reclama de desgaste físico em viagem: ‘É um massacre, foi terrível’

Paulo Autuori não se lamentou por deficiências táticas ou técnicas na derrota por 3 a 2 para o Kashima Antlers (JAP), na Copa Suruga. O técnico do São Paulo afirmou após o fracasso no Japão que o desgaste físico foi um dos maiores responsáveis para que a equipe não tivesse um bom rendimento no último torneio, e reclamou da viagem ao exterior, que contou com quatro jogos em oito dias, entre Copas Audi, Eusébio e Suruga.

– Hoje é o oitavo dia para quatro jogos. É muita coisa para uma equipe envolvida em viagens e situaçãos como essa. Realço o espirito de sacrificio. A parte física não posso exigir mais. É um massacre, sim. Essa maratona foi, está sendo e é terrível para nós. Temos de superar tudo isso, voltar e tentar resolver as coisas na base da conversa, porque já vamos jogar dois dias depois de chegar – disse Autuori, em entrevista coletiva após a partida.

O São Paulo desembarca no Brasil na sexta-feira. No domingo, enfrenta a Portuguesa no Canindé, pelo Brasileirão. No torneio nacional, a equipe ocupa a 18ª posição e está na zona de rebaixamento. Antes mesmo da partida contra o Kashima Antlers, o desgaste físico da excursão ao exterior já havia provocado uma lesão em um dos titulares e a decisão por poupar outros quatro. O zagueiro Paulo Miranda sofreu contratura muscular na coxa esquerda ainda na partida contra o Bayern de Munique (ALE), primeira da viagem. Depois do Benfica (POR), Rafael Toloi, Fabrício, Jadson e Osvaldo também foram liberados para voltarem ao Brasil, para recuperarem condicionamento físico.

Autuori reconheceu, também, que o São Paulo esteve abaixo do Kashima Antlers durante a primeira etapa, não qual sofreu os dois primeiros gols:

– Parabéns ao Kashima. Acho que foi um bom jogo. Nossa equipe não esteve bem no primeiro tempo, depois reagimos, fomos mais verticais, conseguimos a igualdade e perdemos em um lance de infelicidade. Tenho que realçar a capacidade de reação da equipe, depois de quatro jogos em uma semana. A equipe é jovem ainda e paga o preço da falta de experiência. Mas é isso, eles só vão aprender jogando.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*