Após esfriar com o São Paulo, promessa da base faz acordo com o Inter

O atacante Bruno Gomes, de 17 anos, não deve mais reforçar o São Paulo a partir do ano que vem. As negociações do Tricolor com o jogador do Desportivo Brasil, clube da Traffic, esfriaram e o destino do garoto tende a ser o Internacional.

O pai do jogador, que o representa, acertou bases salariais com o clube gaúcho e aguarda a negociação com o Desportivo para sacramentar a transferência. No entanto, ainda há alguns pontos divergentes.

A maior diferença das propostas dos dois clubes envolve a condição que Bruno ocuparia assim que chegasse ao seu destino. O São Paulo pretendia colocá-lo primeiro nas categorias de base, enquanto o Inter prometeu deixá-lo treinando entre os profissionais de imediato. O salário também pesou.

Em três anos de contrato, o Inter oferece vencimentos na base de R$ 50 mil mensais, valor com o qual o São Paulo não concordou.

Bruno vem se destacando nas categorias de base pelo faro de artilheiro. Bateu recordes nas categorias sub-15 e sub-17, como ser o primeiro artilheiro de ambas de maneira consecutiva, e despertou o interesse de Milton Cruz, coordenador técnico do São Paulo.
Fonte: Lance

 

Nota do PP: partindo-se do princípio que ele estava negociando com o São Paulo – ao menos, é o que todos afirmam – e que o Internacional foi lá, pagou e pegou, será que alguém vai falar que o Inter foi anti-ético? Será que alguém vai falar em aliciamento de jovens atletas? Ou será que estes termos só valem para quando o São Paulo entra numa parada? Ah! Outra coisa: se tudo isso for verdade, estamos perdendo até revelação de base para os outros, como foi o Oscar, por exemplo.

3 comentários em “Após esfriar com o São Paulo, promessa da base faz acordo com o Inter

  1. Não me entristece perder jogador de base de outros times. Me entristece é ver o clube não conseguir revelar nenhum jogador relevante, exceção o Lucas que já veio revelado pelos marginais. Há anos contratamos laterais, na grande maioria das vezes os melhores do, então, último campeonato, sem conseguir algum que se firmasse. Poxa, tantos jogadores na base e não dá para preparar alguém que pudesse fazer um “arroz com feijão”, o trivial, já que parece que ninguém consegue jogar bem nessas posições, no Brasil, ultimamente?
    Pra que serve tanto dinheiro gasto na “base”, se sempre estamos disputando meninos com outras agremiações e, dificilmente, aparece alguém de categoria com exclusividade da casa?
    É isso que não consigo entender. Craques fora de série aparecem aqui e ali muito raramente. Entretanto com os métodos de treinamento e saúde dá para pegar um menino que goste de jogar e seja dedicado e forma-lo numa posição qualquer do campo, apenas respeitando suas características e com muito treinamento. Por que não é feito isso no SP que gasta muito e tem toda a infra-estrutura necessária, mas que, entra ano e sai ano, e … nada.
    Gostaria que alguém me explicasse como, e o que é feito nas categorias menores do SP para deixar tanto a desejar.

  2. Paulo Pontes, concordo plenamente.
    Tem mais, os que são trazidos nunca aparecem, ou são muito ruins ou são vendidos ainda desconhecidos.
    Fico com a primeira alternativa se tomarmos como base os que estão no time de cima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*