Apesar dos quatro gols, Ademilson ainda não substitui Lucas para Ney

Lucas partiu para disputar as Olimpíadas com a Seleção Brasileira, Osvaldo, que seria seu substituto, se machucou e Rafinha decepcionou. Sobrou para Ademilson a vaga como titular e, em cinco jogos iniciados como profissional, o atacante de 18 anos já marcou quatro gols. Mas os números ainda não convencem Ney Franco a defini-lo como garantido na equipe caso o camisa 7 seja negociado.

“O Ademilson tem idade para disputar o Sul-americano e o Mundial sub-20 no ano passado, ainda está em um processo de formação”, afirmou o treinador durante sua participação no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta. A estratégia é diminuir a empolgação com o garoto.

A expectativa do jogador, xodó do presidente Juvenal Juvêncio desde as categorias de base, como substituto do possivelmente negociado Lucas não é grande em Ney Franco. “É cedo. Em um campeonato longo como o Brasileiro e com a disputa paralela da Sul-americana, quanto mais peças, mais interessante. Com a falta do Lucas, faltará uma peça muito importante”, avisou o técnico.

Djalma Vassão/Gazeta Press

Atacante agrada e já ganhou a camisa 11 como prêmio, mas ainda perde chances claras como contra o Sport

O próprio Ademilson concorda. “Estou muito longe de conquistar meu espaço. Sou jogador do São Paulo e estou aqui para corresponder o que o torcedor e o treinador pede taticamente. E quando chegar à cara do gol, tenho que fazer”, afirmou o atacante, ciente de que perdeu grande chance na vitória por 1 a 0 sobre o Sport.

 

Mas o triunfo desse domingo foi sacramentado com gol do camisa 11 – número dado a ele como prêmio por seu desempenho – e aumentou um início tão bom que nem ele imaginava. “Não posso falar que previa fazer quatro gols em cinco jogos, mas tenho metas na minha vida, muita fé em mim e trabalho muito forte”, afirmou.

Com esse discurso, Ney Franco aumenta a projeção de sucesso para o garoto. “Com a sub-20, joguei com o Ademilson em torneios na Espanha, na África do Sul e na Espanha. Com certeza todos os grandes clubes do mundo já estão de olho nele. Se está fazendo gol, começará a ser assediado. Mas sempre converso com ele, troco informações. Ele mora na concentração e me parece muito tranquilo, com o pé firme.”

No momento, o contido técnico imagina como ponto alto ao seu ainda jovem astro um prêmio na festa da CBF no final do Campeonato Brasileiro, em dezembro. “Em cinco jogos como titular, ele bateu no peito e atendeu muito bem ao São Paulo. Se continuar nesta levada, assim como o Bernard, do Atlético-MG, pode chegar ao final do ano eleito como a revelação do Brasileiro”, apostou.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*