Ala de Aidar tenta desistência da oposição. Kalil já dá a resposta

Aliados do candidato à presidência do São Paulo Carlos Miguel Aidar trabalham para demover o oposicionista Kalil Rocha Abdalla da candidatura após a derrota na eleição de conselheiros do último sábado. Membros da situação agendaram encontros para os próximos dias com oposicionistas para propor a desistência em tom de conciliação, para que Aidar saia como candidato único no próximo dia 16. Kalil Rocha Abdalla, no entanto, já dá a resposta. E de maneira definitiva:

“E o que vão dar em troca? Porque tudo que se propõe se oferece algo em troca. Eu não vou aceitar em hipótese nenhuma”, afirmou o candidato ao UOL Esporte.

Quem relatou a ideia de propor a desistência a Abdalla foram aliados de Aidar. Até então, não havia acontecido conversa com o candidato de oposição. Líder da campanha que colocou Abdalla no pleito, o ex-superintendente de futebol Marco Aurélio Cunha também refuta a possibilidade.

A eleição do último sábado teve os sócios do São Paulo como eleitores e serviu para nomear quem serão os 80 conselheiros que se juntarão aos 160 conselheiros vitalícios para formar o conselho deliberativo dos próximos seis anos. A chapa Avança São Paulo, de Aidar, elegeu 49 nomes contra 31 de Kalil Rocha Abdalla, na SPFC Forte. O resultado favorável à situação praticamente define que Aidar será o próximo presidente do São Paulo, pois os vitalícios estavam divididos com ligeira vantagem para a situação. Espera-se uma diferença de cerca de 130 votos para 100 votos no dia 16 – neste momento há somente 155 vitalícios, pois cinco faleceram e não houve substituições, e espera-se que outros cinco não compareçam à eleição por problemas de saúde.

Mesmo com o episódio da agressão a Solange Blanco, secretária de Kalil Rocha Abdalla, durante a eleição, os líderes da situação deixaram o pleito exaltando o clima amistoso entre as partes. Esse foi o pretexto para pensar na possibilidade de desistência da oposição.

Um dos argumentos utilizados é que Abdalla se concentra também para concorrer à reeleição como provedor da Santa Casa de São Paulo, em pleito que acontecerá no mesmo dia 16.

Nesta segunda-feira ficou definido no edital da eleição são-paulina que, além do presidente que vai suceder Juvenal Juvêncio, será votado também o contrato de obras de modernização do Morumbi, que inclui a cobertura do estádio e construção de uma arena de shows em projeto orçado em R$ 460 milhões, atualmente sem cobertura após a saída da Andrade Gutierrez.

 

Fonte: Uol

Um comentário em “Ala de Aidar tenta desistência da oposição. Kalil já dá a resposta

  1. Nada de acordo… sem uísque e sem canapés! A oposição será saudável ao processo de gestão e fica na obrigação de exigir mais transparência… Não pode admitir viradas de mesa na calada da noite! O São Paulo é muito maior que esse grupo que ora detém o poder!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*