Aidar consulta agente de Lugano e promete investida após a Copa

Diego Lugano e São Paulo Futebol Clube podem voltar a caminhar juntos a partir do segundo semestre. Pelo menos esse é o objetivo do presidente tricolor Carlos Miguel Aidar. O mandatário, que a princípio descartou prontamente o retorno do uruguaio, admite ter mudado de opinião e promete concentrar esforços para repatriar o ídolo após a Copa do Mundo.

– Nos últimos dias fizemos consultas ao agente dele e fomos informados que o Lugano quer primeiramente focar na Copa do Mundo. O São Paulo tem interesse em trazer o jogador, um ídolo da torcida e do clube. O Muricy disse que quer, então também queremos – declarou Aidar, que também estuda a contratação de Kaká, ao LANCE!Net.

A tarefa do presidente são-paulino, no entanto, não será fácil. Lugano tem como prioridade para a carreira disputar o Campeonato Alemão, competição que considera ser a melhor da atualidade. E para ser notado por algum clube participante da Bundesliga, o zagueiro e capitão da seleção uruguaia espera ter desempenho de destaque no Mundial no Brasil.

O futebol alemão, garante Aidar, surge como o único empecilho provocado por terceiros que pode atrapalhar os sonhos do São Paulo. O dirigente revela que o empresário de Lugano já foi procurado por outras equipes brasileiras, mas que o jogador recusou rapidamente alegando que, no País, só vestirá a camisa tricolor.

– Vamos respeitar a vontade do atleta em se concentrar apenas na Copa do Mundo e assim que o Mundial acabar ou o Uruguai sair, iniciaremos as conversas mais diretas. Lugano, inclusive, já recusou propostas de outros times brasileiros. Aqui, é só no São Paulo que ele joga – afirmou.

Dispensado do West Bromwich (ING) há duas semanas, Lugano passou a ver a torcida são-paulina fazer campanha nas redes sociais pelo seu retorno. A princípio, o beque se incomodou com as declarações de Aidar sobre seu alto salário e suas condições físicas, mas a movimentação dos torcedores e os elogios feitos por Muricy Ramalho no último sábado mudaram a opinião do uruguaio, que aceitaria encaixar seus vencimentos na realidade do futebol brasileiro.

Para repatriar o ídolo, entretanto, o São Paulo precisará dar segurança ao defensor. Lugano teme ter a imagem de ídolo arranhada, como aconteceu com Cicinho, em 2010, e Paulo Autuori, em 2013, com quem conquistou a Copa Libertadores da América e o Mundial de Clubes em 2005. O capitão da Celeste Olímpica quer ter a certeza de que, mesmo se demorar a encontrar a melhor forma física, será tratado com respeito e paciência pela diretoria.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*